270 pessoas mortas congeladas aguardam para serem revividas com a tecnologia do futuro

112

Quantas vezes já ouvimos dizer que Elvis Presley e Michael Jackson não morreram? Muitos garantem que o corpo de Walt Disney está neste momento congelado em algum lugar secreto esperando que tecnologias futuras o façam “reviver”. Bem, talvez isso não seja uma coisa muito longe de acontecer! Algumas instituições acreditam no poder de preservação da criogenia e estão realmente colocando isso em prática.

A criogenia é um ramo da físico-química que estuda tecnologias para a produção de temperaturas muito baixas (abaixo de -150°C). Quando liquefeitos, gases como o nitrogênio, hélio e oxigênio são usados em muitas aplicações criogênicas. Com isso, os cientistas do Cryionics Institute (CI) fundado em 1976 busca a preservação da vida por meio desta tecnologia, tendo como seu mentor Robert Ettinger, o “pai da criogenia” que utilizou o corpo da própria mãe como base do estudo.

Segundo, o Cryionics Institute imediatamente após a morte confirmada, o paciente é exposto a uma substância que impedirá a formação de gelo em torno do corpo. Em seguida, o corpo é resfriado a uma temperatura baixíssima, etapa em que, a exteriorização física é interrompida. A partir daí, o paciente é mantido por tempo indeterminado em “cryostasis“, ou seja, preservado em nitrogênio líquido.

Algumas instituições acreditam no poder de preservação da criogenia e estão realmente colocando isso em prática.  Imagem ilustrativa.
Algumas instituições acreditam no poder de preservação da criogenia e estão realmente colocando isso em prática. Imagem ilustrativa.

Não há dúvida de que a criopreservação é possível, mas daí imaginar que o paciente é capaz de voltar a vida, já é outra história. Mesmo assim, membros do CI afirmam que ressuscitar um corpo morto será uma possibilidade real. Muitos testes com organismos biológicos foram criopreservados, armazenados à baixíssima temperatura em nitrogênio líquido e posteriormente reviveram. Os testes foram feitos em insetos, enguias e tecidos humanos (inclusive o cérebro) e pequenos órgãos de mamíferos. As técnicas tem caminhado para que cada vez mais, células, órgãos e tecidos voltem à vida depois de criopreservados.

Os cientistas do CI garantem que este procedimento não significa exatamente uma ressurreição de mortos, como um milagre religioso. A criogenia não poderá restaurar a vida de pessoas na qual seus cérebros tenham sido fisicamente destruídos. O que a criogenia garante, é que um corpo criopreservado limita danos em todas as estruturas e preserva de forma que possa voltar à vida.

Área onde os corpos ficam preservados no Cryonics Institute!
Área onde os corpos ficam preservados no Cryonics Institute!

Desde 2013, cerca de 270 pessoas foram submetidas a procedimentos de criopreservação, 100 destes estão no Cryionics Institute. E o procedimento pode não ser tão caro assim. Se você quer ter seu corpo preservado para uma “possível ressurreição” a partir de tecnologia futura, só precisa pagar o referente a US $ 28.000,00 assim que for dado como morto e depois, sua família precisa se comprometer com a manutenção mensal dos equipamentos.

Bem, fica o benefício da dúvida…

 

Nesta imagem, o Dr. Jerry Lemler, presidente e CEO da Alcor Life Extension Foundation, está na área onde 49 pessoas são mantidas congeladas!
Nesta imagem, o Dr. Jerry Lemler, presidente e CEO da Alcor Life Extension Foundation, está na área onde 49 pessoas são mantidas congeladas!

Fonte: Diário de Biologia

Comentários

comentários

COMPARTILHAR