Amazonenses esperam noites de Cruviana

1812

A presença da Cruviana é inicialmente percebida como uma agradável e amena brisa que vai se ampliando e dominando o ambiente na forma de um intenso “frio ou friagem”, úmido e penetrante. A Cruviana dura toda a noite e desaparece ao amanhecer.

Na Amazônia, a Cruviana é associada à lendas e contos fantásticos. Conta-se, por exemplo, que ela corresponde a história da Deusa do Vento que chega em forma de tornado fazendo com que homens e mulheres acordem de suas vidas cotidianas e percebam a singularidade da vida.

Loading...

Outra versão diz nas tardes muito chuvosas e frias, uma jovem viúva falecida há muito tempo, saía pelas ruas à procura do amado marido morto e, se algum homem estivesse fora de casa neste momento, e por ela fosse olhado, ficaria tão apaixonado por sua beleza que padeceria o resto da vida com os olhos perdidos, sem dizer nenhuma palavra em estado vegetativo.

Existe ainda a lenda que conta ser a Cruviana uma velha de inúmeras verrugas, terrivelmente fantasiada de ventania, que rouba para longe os curumins para longe.

Para  as equipes de exploração mineral da Amazônia, constantemente acampados nas beiras de igarapés, a Cruviana representa quedas acentuadas da temperatura, em noites frias e úmidas, em contraste com os dias quentes, claros e sem chuvas do verão. A sua intensidade, entretanto, é variável e, consequentemente, também os seus reflexos. A Cruviana intercala noites agradáveis com um clima relaxante com períodos de um frio inquietante, envolvente e quase impossível de se combater.

Certa vez, ao final da tarde, os peões estavam reunidos na pracinha do acampamento conversavam enquanto jogavam dominó. A Cruviana já começava a se mostrar através de uma aragem fria e ainda agradável. Isso era motivo para constantes observações do tipo: “A Cruviana vem chegando”; “Hoje ela vem forte” ou “Quando a ela vem assim tão forte, não tem peão que resista”. Em um barraco, ao lado da pracinha, um peão recém contratado, um típico orelha-seca, ouvia tudo de maneira atenta e inquieta. Em um instante, não resistiu e pediu, com olhar de medo, ao grupo de veteranos: “Por favor, me explique como é esse bicho que vocês falam tanto e que parece que está chegando..”. Após muitas risadas, o grupo veterano elegeu um novo e natural apelido para o peão: Cruviana.

Hoje é teremos noite de Cruviana, Cabocada !!!

Conheça a Cruviana
Conheça a Cruviana

Comentários

comentários

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail: