Imagens compartilhadas em grupos de policiais no WhatsApp vazam e geram polêmica na web

221

Duas imagens mostrando um policial militar fardado, com o rosto coberto por uma máscara de palhaço e um machado apontado para a cabeça de um suspeito, foram amplamente divulgados nas redes sociais desde a tarde de quarta feira (13/7). Mas antes das fotos circularem em grupos de policiais no WhatsApp. A legenda utilizada no vazamento lê: “Tem tatuagem de palhaço, mas quando vê um na frente fica com medo”.

imagem de divulgação
imagem de divulgação

A referência à tatuagem diz respeito a um estudo realizado por um capitão da PM da Bahia que ligaria presos com palhaços tatuados no corpo a envolvimento com mortes de policiais. As duas fotos, segundo advogados, constituem crime previsto pelo código penal no Art. 286 – incitar, publicamente, a prática de crime: pena – detenção de 3 a 6 meses ou multa. A atitude do PM na foto foge completamente do Código de Conduta da instituição, e um pedido de averiguação já feito enviado à Corregedoria da Polícia Militar.

É claro que, se o rapaz na foto é realmente suspeito de envolvimento na morte de um PM ou em qualquer outro crime, ele deve ser levado à justiça e, comprovado seu crime, ser punido exemplarmente. Ainda assim, a conduta registrada por um policial é sintoma de uma relação direta entre a criminalidade e a violência que assolam o país e a própria criminalidade e violência dentro da polícia.

Fica difícil esperar que a polícia possa resolver a situação da violência, sem uma reforma concreta e radical dentro da própria instituição.

Não há dúvidas de que a polícia é também uma grande vítima em alguns casos, mas possuindo o monopólio da violência legalizada, o exemplo deve partir da própria polícia. A situação da violência em um país sempre será equivalente ao comportamento policial – e, no meio dessa convulsão social, inocentes são absurdamente violentados e mortos em ambos os lados, tanto da polícia quanto da população, que estão, em verdade, do mesmo lado.

imagem de divulgação
imagem de divulgação

 

Comentários com Facebook

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail: