Justiça concede perdão a ex prefeito de Coari Adail Pinheiro

659

Ontem, terça-feira (24/1), o ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro ganhou a extinção da pena de prisão de quase 11 anos pelos crimes de favorecimento da prostituição, indução à satisfação de impulsos sexuais e por submeter criança ou adolescente à prostituição ou à exploração sexual. Ou seja, para a justiça, Adail Pinheiro está livre da cadeia.

A decisão presidencial foi cumprida pelo juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Luís Carlos Valois.

A justiça concedeu o perdão da pena por pedofilia, depois que o ex prefeito Adail Pinheiro se enquadrou no artigo 3° do Decreto Presidencial n° 8.940/16, de 22 de dezembro de 2016, o qual concede o perdão da pena “nos crimes praticados sem grave ameaça ou violência à pessoa, quando a pena privativa de liberdade não for superior a doze anos, desde que, tenha sido cumprido um quarto da pena, se não reincidentes, ou um terço, se reincidentes”.

O perdão que deixa Adail livre, atesta que ele apresentou bom comportamento na prisão. Porém em julho de 2016, durante uma revista, foram encontrados 3 celulares, 2 carregadores e a quantia de R$ 100, em poder de Adail Pinheiro e Xinaik Medeiros (ex prefeito cassado de Iranduba).

Ainda sobre o caso, é importante informar que em agosto de 2016, o juiz da 2ª Vara da comarca de Coari, Fábio Lopes Alfaia, autorizou o relaxamento da prisão e em novembro de 2016, Adail conseguiu o benefício de cumprir pena pelo crime de pedofilia em prisão domiciliar usando uma tornozeleira eletrônica. A decisão tomada novamente pelo juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Luís Carlos Honório de Valois, uma semana após Adail ter progredido para o regime semiaberto.

Comentários com Facebook

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail: