Mais de 100 de alunos foram ‘possuídos’ em escola

10

Quase uma centena de crianças e adolescentes foram supostamente “possuídos”, no norte do Peru. Os jovens alegaram terem visões de um homem de preto tentando matá-los – mas não havia ninguém.

O caso em massa de “possessão demoníaca” fez com que alguns alunos sofressem crises de alucinações terríveis.

Mais de 100 de alunos foram possuídos em escola
Mais de 100 de alunos foram possuídos em escola

No entanto, os especialistas não foram capazes de explicar os fenômenos estranhos na escola peruana Elsa Perea Flores.

De acordo com relatos locais, cerca de 90 estudantes experimentaram a condição contagiosa bizarra, que também inclui convulsões generalizadas e desmaios.

As crianças entre os 11-14 anos tiveram desmaios, gritavam, e pareciam ter fortes convulsões musculares.

De acordo com a experiência de um aluno não identificado: “É perturbador para mim pensar sobre isso. É como se alguém estivesse me perseguindo por trás. Era um homem alto, todo vestido de preto e com uma barba grande e parecia que ele estava tentando me estrangular. Meus amigos dizem que eu estava gritando desesperadamente, mas eu não me lembro.”

Outro estudante lembrou que teve dificuldade em respirar e estava segurando desesperadamente seu pescoço como se alguém estivesse estrangulando-o. E seu amigo disse que ele não parava de gritar: “Leve-o para fora.”

Segundo especialistas, o caso trata-se de histeria coletiva. É um distúrbio psicológico em que um grupo de pessoas passa a ter, ao mesmo tempo, um comportamento estranho ou adoecer sem uma causa aparente.

A histeria coletiva começa normalmente quando alguém adoece ou fica histérico durante um período de stress. Depois da demonstração dos sintomas pelo indivíduo inicial, outras pessoas começam a manifestar sintomas semelhantes, geralmente náuseas, fraqueza muscular, convulsões ou dores de cabeça.

Mais de 100 de alunos foram possuídos em escola
Mais de 100 de alunos foram possuídos em escola

 

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail:

COMPARTILHAR

Comentários