Reaprendendo a falar amazonês

711

Uma ONG amazonense desenvolve um projeto nas escolas amazonenses que leva ribeirinhos para a sala de aula com o objetivo de ensinar o vocabulário amazonense para alunos de cinco (5) até quinze (15) anos de idade. O representante da ONG, o senhor Carlos Jorge afirma que a idéia de ensinar amazonês para os alunos das escolas públicas amazonenses veio quando seu filho mais velho, que tem dez (10) anos acabou de ver um filme e disse que o filme era massa.

Reaprendendo a falar amazonês
Reaprendendo a falar amazonês

“Esse filme é massa véi! Eu fiquei cabrera, meu filho fala que nem um bossal do sudeste. Eu falei mermo, bonito pra tua cara né, tamanho um curuminzão, fica com essas marmotas de fora. Eu não podia dar uma cipoada no menino né, então percebi que não era só ele que falava assim. O povo da nova Manaux só quer ser o sulista, falar que nem o povo do sudeste, passar as férias no nordeste. Então decidi criar esse projeto e levar ribeirinhos, aqueles bem cabucões mermo. Temos que dar valor para as nossas origens, para a nossa cultura” – Completou Carlos.

Apenas os municípios de Manacapuru, Tabatinga e Parintins são parceiros do projeto. Em Manaus a única escola parceira é a Escola Estadual Maria Rodrigues Tapajós, que fica no bairro da Redenção.

Mais informações acesse a página da ONG no facebook ou mande um email para: soucabucaomermo@ong.com

Comentários com Facebook

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail:

COMPARTILHAR