15 mortos foi o resultado da √ļltima rebeli√£o dentro do Compaj

6064

Neste domingo (26) , por volta de meio dia, uma rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, teve como resultado 15 presos mortos.

Segundo a Secretaria de Comunica√ß√£o do Governo do Amazonas, os √≥bitos ocorreram durante uma briga entre os presos. A situa√ß√£o foi controlada por volta das 15 horas, mas a falta de informa√ß√Ķes sobre as v√≠timas deixou dezenas de familiares sob tens√£o na entrada do Complexo. A unidade √© a mesma onde em 2017 aconteceu um massacre que deixou 56 mortos.

O ataque come√ßou durante hor√°rio de visita. Os parentes dos detentos foram retirados √†s pressas do local. Segundo o secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica do Estado, coronel Louismar Bonates, alguns assassinatos ocorreram na presen√ßa de parentes das v√≠timas. Um grupo de mulheres chegou a bloquear o tr√Ęnsito da BR-174, que fica logo em frente ao Compaj, mas uma equipe do Batalh√£o de Choque da Pol√≠cia Militar desobstruiu a via sob protestos.

Ainda de acordo com o secret√°rio, foi determinado o refor√ßo em outras unidades do sistema prisional, por medida de precau√ß√£o. Helic√≥pteros do Departamento Integrado de Opera√ß√Ķes A√©reas fizeram sobrevoo no sistema, durante a tarde. N√£o h√° informa√ß√Ķes sobre fugas e n√£o houve agentes penitenci√°rios ref√©ns.

Em coletiva, Bonates comunicou que a secretaria investiga a motiva√ß√£o do motim. “As c√Ęmeras internas registraram todos os crimes e vamos encaminhar as informa√ß√Ķes √† Justi√ßa”, declarou. O Estado mostrou que a crise nas penitenci√°rias ainda era latente, com grande risco aos detentos.

Mulheres choram a perda dos entes queridos / foto: Divulgação

Coment√°rios