30 crianças aguardam por uma possibilidade de ganhar uma nova família. no Amazonas

54

Em comemoração ao dia Nacional da Adoção, 25 de maio, o Poder Judiciário amazonense se mobilizou para sensibilizar a população sobre o tema e esclarecer dúvidas das pessoas que têm interesse em adotar uma criança ou um adolescente.

25 de maio - Dia Nacional da Adoção
25 de maio – Dia Nacional da Adoção

De acordo com os dados do Juizado da Infância e Juventude Cível da Comarca de Manaus (JIJ-Cível), e 30 crianças aguardam por uma possibilidade de ganhar uma nova família.

“Adotar é um ato de amor, de solidariedade e de generosidade, pois permite à criança e ao adolescente que foram privados, por algum motivo, do convívio com os seus pais biológicos, de ter uma nova família, um lar carinhoso e de receber atenção, educação e o amor que merecem.

O mês de maio é o mês da adoção e, especialmente no dia 25, quando se comemora nacionalmente esse tema, nós, do Judiciário, procuramos chamar a atenção para o assunto e esclarecer as dúvidas da população quanto à adoção”, ressaltou a juíza de Direito Rebeca de Mendonça Lima, titular do JIJ-Cível e coordenadora da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Ainda conforme dados do Juizado, entre as 30 crianças e adolescentes que aguardam adoção no Estado – estatística de janeiro a abril deste ano -, há 14 grupos de irmãos com idade de 2 a 17 anos. Nos últimos cinco anos, um total de 650 processos de adoção foram viabilizados na Comarca de Manaus.

Em 2011, foram intermediadas 94 adoções; em 2012, 105; em 2013, 146; em 2014, 124; no ano de 2015 foram 85; e em 2016, 126 crianças e jovens foram adotados. Nos primeiros meses deste ano, já foram registradas duas adoções de crianças especiais e uma tardia (adolescente).

A mais recente, intermediada pelo Juizado, foi de uma criança autista que aguardava há quatro anos por uma nova família. O processo ocorreu em Manaus e foi concluído no último dia 4 de maio.

Famílias

O Amazonas já conta com 116 famílias habilitadas para a adoção, conforme informações do Juziado da Infância e Juventude Cível da Comarca de Manaus.

A juíza Rebeca de Mendonça Lima ressaltou que das 116, 37 delas já adotaram e, como a experiência foi positiva, decidiram entrar com um novo pedido de adoção. A gerente social do JIJ-Cível, Heloísa Guimarães, explicou que as pessoas interessadas na habilitação para se tornar pais adotivos devem ter idade igual ou superior a 18 anos e procurar o Juizado, que funciona no 5º andar do Fórum Ministro Henoch Reis, situado na avenida Jornalista Umberto Calderaro, s/nº, bairro de São Francisco, zona Centro-Sul de Manaus. “Ao nos procurar, o interessado receberá as orientações necessárias e terá o acompanhamento especializado de nossa equipe durante todo o processo.

Cabe lembrar, que a única restrição é a idade mínima de 18 anos, sendo a habilitação aberta para pessoas casadas, solteiras, em união estável e casais homoafetivos, observando-se que o estudo técnico é determinante para o deferimento da habilitação que terá validade de cinco anos, com a inclusão no Cadastro Nacional de Adoção”, indicou Heloísa Guimarães, acrescentando que na Comarca de Manaus, os procedimentos de adoção são viabilizados pelo TJAM em parceria com a Defensoria Pública Estadual.

No interior do Amazonas, os processos de adoção podem ser viabilizados nos Fóruns de Justiça, mediante solicitação aos juízes das Comarcas.

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail:

Comentários