A lenda da cobra grande debaixo da Catedral de Itacoatiara

21012

O mito da cobra-grande povoa o imagin√°rio dos antigos da Velha Serpa. O fato da velha igreja da cidade apresentar rachaduras imensas, que vez por outra apareciam em suas paredes, isso acabou por estimular a imagina√ß√£o do povo, era motivo suficiente para que populares afirmassem que isso ocorria quando se tirava N. Sra. do Ros√°rio de seu altar mor, para seguir em prociss√£o pelas ruas da cidade. E segundo a lenda, contada de gera√ß√£o a gera√ß√£o, o povo antigo afirmava que a imagem de N. Sra. do Ros√°rio, se encontrava justamente sobre a cabe√ßa da cobra, que repousava a alguns metros do subsolo da igreja. E as rachaduras, seriam ocasionadas pela f√ļria da cobra, pelo motivo de tirarem a santa do lugar, e isso provocava o trincamento das paredes do principal templo sagrado da Velha Serpa.

Como a lenda da cobra-grande faz parte do imagin√°rio amaz√īnico, o munic√≠pio de Itacoatiara tamb√©m conserva essa tradi√ß√£o popular, pois outros elementos da f√© crista corroboram para o fortalecimento da crendice. A imagem da padroeira do Amazonas Nossa Senhora da Concei√ß√£o, que se encontra no altar mor da catedral metropolitana do estado, sua imagem esta sobre uma serpente. Na Catedral paraense de Nossa Senhora de Nazar√©, tamb√©m possui o mesmo mito da cobra-grande, que repousa sob o seu subsolo, e que tamb√©m √© guardi√£ da imagem da santa protetora do povo paraense.

Ha v√°rias hist√≥rias do aparecimento desse ser mitol√≥gico, na zona rural da Amaz√īnia, e em Itacoatiara n√£o √© diferente, conforme contam os pescadores da regi√£o. A lenda da cobra que fica em baixo da igreja matriz √© antiga e esta t√£o impregnada no imagin√°rio popular, tanto que na pr√≥pria letra do Hino da cidade de Itacoatiara, criado por uma freira a cobra √© mencionada, no seguinte trecho, ‚Äúolhando o rio revolto, e a serpente raivosa a vibrar, eu tenho um presente venturoso, crescer, viver, reinar‚ÄĚ. Como pudemos perceber, pela for√ßa extraordin√°ria que o poder mito exerce sobre a a√ß√£o humana, em 2008, foi erguido um monumento, integrante da urbaniza√ß√£o da constru√ß√£o da Orla da cidade de Itacoatiara, contemplando alguns s√≠mbolos do munic√≠pio, destacando uma replica da pedra pintada, que se encontra dentro de uma pequena lagoa, que des√°gua de uma cascata, a qual √© contida com uma r√©plica gigantesca da famosa cobra grande.

Hoje esse lugar, é um dos mais favoritos para poses de fotografias dos turistas que visitam Itacoatiara.
O termo Serpa tem origem na Cidade da prov√≠ncia de Beja em Portugal. O Infante Dom Fernando recebeu o territ√≥rio do seu pai o Rei Dom Afonso e no lugar haviam muitas “serpas” – serpentes e ele tornou-se o Infante de serpas, com o tempo perdeu-se o “s” final e o lugar e tamb√©m pessoas passaram a assinar-se serpa. Na √©poca da funda√ß√£o do povoado que deu origem a nossa cidade em 1759, por determina√ß√£o do imp√©rio do Brasil, o nome dado ao primeiro assentamento urbano na regi√£o, foi Vila de Serpa, s√≥ em 1874, a cidade foi elevada a categoria de cidade com o nome de Itacoatiara.

A lenda da cobra grande de Catedral de Itacoatiara
A lenda da cobra grande de Catedral de Itacoatiara

Por: Frank Chaves

Coment√°rios