A lenda do guaran√°

9607

Reza a lenda que as tribos de Munducuruc√Ęnia eram as mais pr√≥speras dos √≠ndios. Venciam todas as guerras, as pescas eram √≥timas, os peixes, os melhores e a doen√ßa era rara. E nessa tribo existia um casal que n√£o puder√° ter filho, dentro da tribo de Munducuruc√Ęnia viviam os √≠ndios Mau√©s e entre eles um casal jovem, muito feliz e amado pela tribo.Por√©m, a felicidade do casal era abalada pela tristeza de n√£o terem filhos.
Aconselhados pelo pajé, resolveram buscar ajuda de Tupã e pediram-lhe então, a graça de poder terem um filho.
Meses depois, a índia deu a luz a um menino.

A Lenda do Guaran√°
A Lenda do Guaran√°

O pequeno índio crescia saudável e feliz. Era muito querido por todos, pois era muito bondoso, criativo, prestativo e cheio de alegria. O curumim chamava-se Aguiry, um alegre e esperto indiozinho, que para se alimentar comia somente frutas. Por isso, todos os dias saía pela floresta à procura de seu prato preferido; as frutas. Ele as colhia e trazia-as num cesto para distribuí-las entre seus amigos. Por isso ele também era a verdadeira sensação da tribo e sua família muito admirada. Ele era o mais protegido de todos. Nas pescas, era acompanhado por muitos Рos pescadores desviavam dos rios as piranhas, jacarés ou qualquer outro perigo.

    Maues 28 novembro 2009 - Encenação da lenda do Guaraná na 30 festa do Guaraná de Maues.Fotos: Fernando Cavalcanti
Maues 28 novembro 2009 РEncenação da lenda do Guaraná na 30 festa do Guaraná de Maues.
Fotos: Fernando Cavalcanti

A fama do curumim se espalhou pela floresta e chegou ao conhecimento de Jurupari. Jurupari, o dem√īnio das trevas, vagava pela floresta. Tinha corpo de morcego, bico de coruja e tamb√©m alimentava-se de frutas, esse cheio de inveja passou a acompanhar o pequeno √≠ndio. Como podia ficar invis√≠vel, ningu√©m o via.

Jurupari matando Aguiry
Jurupari matando Aguiry

Um certo dia, Aguiry perdeu-se na mata por afastar-se demais da aldeia. Jurupari aproveitou-se da ocasião e transformou-se numa serpente venenosa que picou o menino. O pequeno índio morreu quase que instantaneamente. O veneno da serpente era muito poderoso para o seu frágil corpinho de criança.

Preocupados com a demora do curumim, v√°rios √≠ndios da aldeia partiram pela floresta para procur√°-lo. Os √≠ndios da tribo encontram-no morto ao lado do cesto vazio. Neste momento, raios e trov√Ķes caiam do c√©u. Os √≠ndios diziam ser o lamento de Tup√£.

A m√£e do curumim morto recebeu uma mensagem de Tup√£ dizendo:

– Tirem os olhos do curumim e plantem-no na terra firme, reguem-no com l√°grimas durante 4 luas e ali nascer√° a “planta da vida”, ela dar√° for√ßa aos jovens e revigorar√° os velhos.

Os pajés não duvidaram, arrancaram e plantaram os olhos do curumim e regaram com lágrimas durante quatro luas.

O guaran√°zeiro
O guaran√°zeiro

Nasceu ali uma nova planta, travessa como as crian√ßas, com hastes escuras e sulcadas como os m√ļsculos dos guerreiros da tribo. E quando ela cresceu, brotava uma linda plantinha, o Guaran√°, com fruto vermelho e que por dentro pareciam os olhos do menino. Diziam os √≠ndios:

– √Č a multiplica√ß√£o dos olhos do pr√≠ncipe!

Aguiry - A Lenda do Guaran√°
Aguiry – A Lenda do Guaran√°

E o fruto trouxe progresso da tribo. Ajudou os velhos e deu mais força aos guerreiros.

O fruto do guaran√°
O fruto do guaran√°

Fontes : Portal Amaz√īnia , Wikipedia, QDivertido, Tempo de Brincar

Coment√°rios