Inicial Notícias Polícia Ações no Viver Melhor foram realizadas por traficantes e teve até Coquetel molotov

Ações no Viver Melhor foram realizadas por traficantes e teve até Coquetel molotov

2 minuto de leitura
0
321

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, explicou, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (04/03), que a manifestação ocorrida no Conjunto Residencial Viver Melhor, na noite da última terça-feira (03/03), teve a participação de traficantes contrários à desocupação do Monte Horebe, área ocupada irregularmente e que passa por processo de reintegração de posse.

Os traficantes, de acordo com o titular da SSP-AM, aproveitaram o momento em que moradores do Viver Melhor faziam uma manifestação pedindo melhorias do sistema de ônibus e atearam fogo em uma barricada com coquetéis molotov. Bonates adiantou que eles já foram identificados e que as forças de segurança agora trabalham para prender os responsáveis.

“O Viver Melhor estava fazendo um manifesto em razão dos ônibus. Os traficantes se aproveitaram desse momento para tentar tumultuar, suspender os trabalhos. Tentaram, inclusive, tacar fogo nas nossas máquinas, mas foram plotados (localizados) na hora e correram. Não conseguiram, largaram as bombas lá perto das máquinas”, disse o secretário, ao adiantar que a polícia identificou os responsáveis pelo tumulto e já realiza buscas.

Cocktail Motolov / Fotos: Bruno Zanardo/Secom

Apesar do episódio, a operação de reintegração de posse do Monte Horebe ocorre de maneira ordeira, segundo avaliação do secretário de Segurança. “O resultado da operação está sendo positivo, com exceção desse incidente, dessa tentativa de tumultuar. No resto a população está colaborando, o Estado está dando caminhões para fazer a mudança, não está tendo nenhum incidente, fora esse que aconteceu”.

Demolição – A demolição de barracos no Monte Horebe, assim que desocupados pelas famílias após assinatura de acordo para solução de moradia, evita que outras pessoas tentem se passar por moradores para conseguir o aluguel-social de R$ 600, que será concedido a cada família.

“Alguns barracos já haviam sido identificados, já tinham passado por toda a triagem. Essas pessoas concordaram com a ação, desocuparam os barracos e outras pessoas, tentando dividir a família em três, estão tentando ocupar esses barracos. Como nós estamos destruindo logo após ele ser desocupado, essas pessoas estão reclamando que não estão conseguindo reocupá-los”, afirmou o secretário.

Cocktail Motolov / Fotos: Bruno Zanardo/Secom

Comentários

Carregue Mais Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta