Agentes de Combate às Endemias do Amazonas vão paralisar suas atividades com indicativo de greve

56

No próximo dia 24 de janeiro de 2018, os Agentes de Combate às Endemias e servidores vinculados à Fundação de Vigilância em Saúde – FVS/AM, lotados na capital e em trinta e cinco municípios do interior, estarão paralisando suas atividades em protesto contra as perdas salariais e a falta de valorização profissional. A Manifestação Pública ocorrerá na frente da Sede do Governo, na Avenida Brasil, bairro da Compensa e visa buscar uma solução as reivindicações da categoria, a paralisação será de 24hs com indicativo de greve no início de fevereiro, dependendo dos encaminhamentos durante as negociações.

Agentes de Combate às Endemias do Amazonas vão paralisar suas atividades com indicativo de greve / Divulgação
Agentes de Combate às Endemias do Amazonas vão paralisar suas atividades com indicativo de greve / Divulgação

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Controle e Combate de Endemias no Estado do Amazonas – SINDAGENTE/AM, entidade representativa da categoria, foi encaminhado em novembro de 2017 um expediente solicitando uma audiência com o Governador, mais ate a presente data não houve nenhum retorno. Na realidade, os servidores da saúde em especial os Agentes de Combates às Endemias, estão literalmente pagando para trabalhar, devido às perdas salariais que chegam a 42% considerando a data-base dos trabalhadores da saúde, que não é cumprida desde 2013, as promoções e progressões de carreira, conforme o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações – PCCR, instituído pela Lei nº 3.469 de 2009, sem contar com a retirada do Ticket Alimentação em 2016.

Com relação aos Agentes de Combate às Endemias, as perdas são incalculáveis, considerando todas as legislações vigentes e reivindicam a isonomia salarial, mediante a regulamentação e implantação imediata do piso salarial profissional nacional e o adicional de insalubridade, instituídos em 2014 e 2016 respectivamente. Essas reivindicações visam à cima de tudo, o reconhecimento e a valorização desses profissionais, hoje o vencimento base inicial nos demais estado do país é R$ 1.014,00 e no Amazonas está abaixo de
um salário mínimo, R$ 636,35.

Outras demandas dos servidores são: Implantação do auxilio transporte (previsto em Lei Ordinária Estadual), readmissão dos 262 Agentes de Combate às Endemias, retorno do ticket alimentação aos demais servidores da FVS-AM e melhorias nas condições de trabalho.

Os Agentes realizam um trabalho fundamental no contexto da saúde coletiva e preventiva, em especial no controle e combate de várias morbidades endêmicas da região Amazônica, como a malária, doenças de chagas, leishmaniose e a dengue (zika vírus e chikungunya). Esses profissionais manipulam inseticidas de alta toxicidade, labutam em condições precárias, em áreas vermelhas, sofrem constantemente pressão psicológica, assédio moral dos gestores e perseguição política em muitos municípios do interior e exercem varias funções técnicas sem receberem as devidas gratificações que a legislação determina.

Os descumprimentos das legislações vigentes e as perdas acumuladas por mais de quatro anos, torna-se inviável a continuidade das ações realizadas diariamente por estes profissionais.

 

Comentários