Home Notícias Amazonas Aleam aprova Política Estadual de Prevenção às doenças causadas pelo Aedes Aegypti

Aleam aprova Política Estadual de Prevenção às doenças causadas pelo Aedes Aegypti

3 min - tempo de leitura
7

 

O Projeto de Lei que cria a Política Estadual de Prevenção, Combate e Erradicação das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti no Estado do Amazonas foi aprovado pela Assembleia Legislativa na última quinta-feira (9) e agora será enviado à sanção governamental. O governador Wilson Lima poderá sancionar (aprovar) ou vetar o projeto integralmente ou partes dele.
De autoria do deputado Wilker Barreto (Podemos), o Projeto de Lei (PL) n.° 290/2020 prevê em seu artigo 2° a cooperação entre o Estado do Amazonas e os seus municípios para o desenvolvimento de ações conjuntas de prevenção e combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti, com a participação dos respectivos órgãos de Saúde.
A política estadual de combate ao Aedes prevê também a formação e o aperfeiçoamento do pessoal das áreas de saúde, a modernização e a adequação tecnológica dos equipamentos e procedimentos empregados nas atividades e manter banco de dados com informações sobre cada doença transmitida pelo mosquito.
Wilker Barreto afirmou que a intenção é aprimorar, com a participação efetiva dos órgãos públicos, a eliminação dos focos de criação do mosquito e incentivar a participação da sociedade nas iniciativas voltadas para a prevenção, combate e erradicação das doenças transmitidas pelo Aedes. “Criar mecanismos eficazes de fiscalização e eliminação dos focos do mosquito no Amazonas; incentivar a pesquisa científica e implantar um sistema de monitoramento, rastreamento e eliminação dos focos de criação dos mosquitos são algumas das diretrizes nessa Lei”, esclareceu.
O PL determina também cria uma série de responsabilidades aos proprietários de imóveis, como a obrigação de mantê-los limpos e fechados de modo a impedir a proliferação do mosquito, sob pena de multa, bem como dá ao Poder Público, por meio de seus agentes públicos, a permissão de ingressar nos bens imóveis que apresentem risco potencial de propiciar a proliferação do mosquito para averiguar a existência de criadouros, bem como para autuar o responsável.

O Projeto prevê ainda a concentração dos registros referentes ao número de pessoas infectadas pelo mosquito e a respectiva doença em um único órgão, e a publicação mensal de boletim estatístico dos registros realizados, contendo os casos com maiores incidências dessas doenças.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Prefeito pede compreensão e estima fim dos trabalhos em 20 dias na avenida Mário Ypiranga

A obra emergencial de substituição da rede de drenagem profunda na avenida Mário Ypiranga …