Amazonas est√° h√° 29 dias sem registrar mortes por H1N1

78

O Estado do Amazonas est√° h√° 29 dias sem registrar √≥bito por Influenza A (H1N1). De acordo com a 23¬™ edi√ß√£o do Boletim Epidemiol√≥gico da S√≠ndrome Respirat√≥ria Aguda Grave (SRAG), divulgada na √ļltima quarta-feira (17/04), o √ļltimo caso foi registrado no dia 19 de mar√ßo. Desde ent√£o, o n√ļmero estagnou em 33 v√≠timas (26 em Manaus).

Para a gerente de Urg√™ncia e Emerg√™ncia da Secretaria de Estado de Sa√ļde (Susam), Nayara Maksoud, uma das raz√Ķes para a estagna√ß√£o dos √≥bitos foi a efic√°cia do plano de assist√™ncia executado na rede estadual, que envolveu, entre outras medidas, a reserva de leitos exclusivos para casos suspeitos.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“A principal medida foi termos reorganizado o plano de assist√™ncia das vitimas suspeitas de H1N1 dentro dos prontos-socorros adultos e infantis, oferecendo, a partir de ent√£o, assist√™ncia adequada aos casos, com a amplia√ß√£o de leitos pedi√°tricos e adultos exclusivos. Assim como o refor√ßo nos cuidados com a seguran√ßa dos pacientes nas unidades e com a√ß√Ķes permanentes de educa√ß√£o em sa√ļde”, destaca Nayara.

O boletim desta quarta-feira mostra ainda que casos notificados de SRAG subiu de 1.074 para 1.094 casos. Desse total, 120 positivos para o V√≠rus da Influenza A (H1N1) e 227 para V√≠rus Sincicial Respirat√≥rio (SRV). O documento √© elaborado pela Funda√ß√£o de Vigil√Ęncia em Sa√ļde do Amazonas (FVS- AM).

No interior, os casos de óbitos por H1N1 também seguem sem alteração, com os três casos em Manacapuru, além de Parintins, Itacoatiara, Japurá e Urucurituba, com um caso cada.

Para o Sincicial, nesta edição, subiu de 20 para 23 casos óbitos, sendo 21 em Manaus, permanecendo no interior, um em Borba e outro em Manacapuru.

O n√ļmero de √≥bitos por outros v√≠rus respirat√≥rios tamb√©m continua o da √ļltima edi√ß√£o: em Manaus, um √≥bito por Parainfluenza tipo 3 e um pelo v√≠rus Metapneumov√≠rus; e, no interior, um √≥bito por Influenza A n√£o subtip√°vel, registrado no munic√≠pio de Mau√©s.

Segundo a atualização do boletim, dos 59 pacientes graves que evoluíram para óbitos, entre fevereiro a abril de 2019, 54 deles faziam parte de grupo de risco mais suscetíveis, o que corresponde a 91,5%, com destaque para crianças menores de 5 anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas.

Com informa√ß√Ķes da assessoria

Coment√°rios