Amazonenses vencem o Campeonato Brasileiro de Duplas Mistas de Curling

58

Em 2013, o No Amazonas é assim publicou uma matéria fantasiosa na qual dizia Amazonas Terra do Curling e citava um morador de barreirinha. E não é que se profetizou!

Amazonense de Barreirinha rouba a cena no Mundial Masculino de Curling
Amazonense de Barreirinha rouba a cena no Mundial Masculino de Curling

Na última semana, a dupla amazonense Márcio Cerquinho e Luciana Barrella se destacaram novamente e conquistaram o Campeonato Brasileiro de Duplas Mistas de Curling. Essa dupla, inclusive, já representaram o Brasil agora em 2019 na temporada do World Curling Tour, a disputa do torneio Qualico Mixed Doubles Classic que serviu para reunir algumas das principais duplas mistas da modalidade atualmente – entre elas, uma do Brasil. As partidas aconteceram em Banff, no Canadá, entre 3 e 6 de janeiro.

Luciana Barrella, atleta da seleção feminina, e Marcio Cerquinho, presente nas últimas duas edições do Mundial de Duplas Mistas, representaram o país na competição.
Marcio Cerquinho e Luciana Barrella voltaram a jogar juntos e representaram o Brasil nas Duplas Mistas (Reprodução)
Marcio Cerquinho e Luciana Barrella voltaram a jogar juntos e representaram o Brasil nas Duplas Mistas (Reprodução)

Além da conquista do campeonato brasileiro, a dupla também garantiu vaga no mundial da modalidade. Márcio já conhece bem a competição e representou o Amazonas em duas oportunidades. Agora, com uma parceira, a ideia é fazer história para o curling brasileiro. “O Márcio tem bastante experiência nessa modalidade e vem se preparando há um tempo pra levar o Brasil para os playoffs quem sabe sonhar no futuro com uma vaga olímpica. A nossa parceria na modalidade é nova, ele teve um excelente desempenho ao lado da Aline (Lima, antiga dupla do amazonense), mas estamos trabalhando muito duro e queremos chegar aos playoffs esse ano”, revelou Luciana Barrela, que mora no Canadá desde 2009 e pratica o curling há quatro.

Um dos principais obstáculos dos atletas amazonenses é a falta de apoio, ainda assim, a dupla segue batalhando para fortalecer o esporte. “É complicado falar de patrocínio, já bati em várias portas, já estive em mesas com secretários de esporte em Manaus e apenas um ajudou, em 2016. É difícil convencer pessoas de um esporte que eles mal conhecem.

O curling é um esporte olímpico, o Brasil teve a segunda maior audiência nos jogos de curling nas Olimpíadas da Coreia, estamos entre as maiores audiências em campeonatos mundiais também, recebo mensagens de vários brasileiros espalhados pelo mundo e o quanto eles são interessados no esporte me surpreende”, revelou Márcio, que também fez questão de ressaltar os parceiros que ajudam no crescimento do esporte para mirar sonhos ainda maiores. “Para esta temporada, contamos com o patrocínio da Tutiplast Indústria e Comércio Ltda que foi de grande ajuda para bancar rotinas de treino e viagens para campeonatos fora do Canadá, e ela será nossa parceira em busca de uma vaga nas olimpíadas de 2022 em Beijing, na China. Vale mencionar o apoio fundamental da nossa Confederação Brasileira de Desportos no Gelo e do presidente Matheus Figueiredo que mesmo em tempos difíceis, muita das vezes foi o nosso pulmão para continuar no esporte”, desabafou o atleta.

Agora, a ideia é popularizar o esporte na região e aí sim, o Amazonas será a terra do Curling, assim como já é um celeiro de atletas de MMA.

 

Comentários