Home Notícias Amazonas Após eleições, Wilson Lima manda fechar “tudo” novamente

Após eleições, Wilson Lima manda fechar “tudo” novamente

5 min - tempo de leitura
88

A partir do dia 26 deste mês, o Governo do Amazonas vai endurecer as regras contra eventos clandestinos e aumentar as restrições de combate à Covid-19 no Estado, principalmente em Manaus. Os eventos clandestinos serão fechados e os equipamentos e bebidas serão recolhidos pela polícia.

As medidas foram anunciadas no início da tarde deste quarta-feira, 23, pelo governador Wilson Lima e constarão em decreto a ser publicado nas próximas horas. As restrições serão mantidas de 26 de dezembro a 10 de janeiro.

Wilson Lima desmentiu a informação publicada mais cedo de que o governo iria decretar lockdown no Estado. “Não haverá lockdown. Nós não fizemos isso durante o pico da pandemia, e não será agora que vamos tomar uma decisão como essa”, disse.


O governador justificou as medidas mais duras contra as festas clandestinas. “Até agora a Secretaria de Segurança e a Vigilância Sanitária fizeram um trabalho de orientação, mas os efeitos não foram satisfatórios. Por isso, a partir do dia 26 nós vamos fechar todos os eventos clandestinos, recolher os equipamentos e as bebidas”, disse o governador.

Bares e restaurantes também serão fechados a partir do dia 26. Os hotéis terão funcionamento normal, mas os restaurantes desses estabelecimentos ficarão restritos aos hóspedes.

Estabelecimentos de comércio e serviços que não são essenciais só poderão funcionar por drive thru e delivery, com horário de funcionamento até 21h. Os shoppings centers estão incluídos nesse sistema, e ficarão fechados para o público.

Eventos, casamentos e formaturas também ficam proibidos no período de 15 dias. As reuniões comemorativas também estão suspensas.

As feiras e mercados também sofrerão restrições e vão funcionar em horários que serão estabelecidos pelo comitê de combate à Covid-19.

Os espaços públicos, como parques e praças serão fechados.

O transporte intermunicipal por barcos e ônibus serão mantidos, mas o governo vai aumentar a fiscalização para que sejam respeitadas as medidas de segurança, como a quantidade reduzida de passageiros.

Justificativas

As justificativas apresentadas pelo governo para decretar as restrições que foram anunciadas nesta quarta-feira são o aumento dos casos de Covid-19 e o relaxamento da população em relação às medidas de restrição em vigor, depois da flexibilização feita a partir de junho.

De acordo com o governador nos últimos dias houve um aumento significativo dos casos de Covid-19 em Manaus, na rede pública e na rede privada.

“Tem hospital particular que já está com a capacidade toda ocupada e tentando locar [alugar] leitos. Na rede pública, só no Hospital Delphina Aziz, temos uma ocupação hoje de 94% dos leitos clínicos e 99% de ocupação de leitos de UTI”, disse o governador.

Wilson Lima disse que nos últimos 35 dias o Estado colocou em funcionamento 50 novos leitos de UTI e estão praticamente todos ocupados.

O aumento dos casos de Covid-19, de acordo com o governador, tem relação com eventos que geraram ou geraram aglomerações. As eleições municipais, segundo ele, foi um desses eventos.

Outros eventos são as festas clandestinas que têm acontecido como muita frequência em Manaus, segundo Wilson Lima.

Esse conjunto de têm contribuído para que os casos de Covid-19 aumentem e também as mortes pela doença.

“Nós tínhamos uma média diária de mortes em torno de 5, 6, e agora estamos passando para uma média de 10, 12. Por isso, vocês estão vendo no mapa [da Covid-19 na TV) o Amazonas em vermelho”, disse o governador.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Governador do Pará oferece 30 leitos para pacientes do Amazonas com Covid-19

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou na noite desta quinta-feira (14) que…