Home Notícias Amazonas Após matanças nos presídios, Governo anuncia fim de contrato com Umanizzare

Após matanças nos presídios, Governo anuncia fim de contrato com Umanizzare

4 min - tempo de leitura
5

Na tarde da ultima terça-feira (28), o Governo do Amazonas anunciou que não irá renovar contrato com a empresa Umanizzare, que é a terceirizada responsável pela gestão de seis presídios no estado.

No próximo sábado, o contrato de gestão do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) será encerrado afirmou o Governo do Amazonas. No entanto a empresa informou que vai concorrer em novo processo licitatório para permanecer na administração das cadeias.

Foto: Eliana Nascimento/G1

A decisão foi anunciada logo após as 55 mortes em presídios do estado do Amazonas. Em quatro das seis cadeias que a Umanizzare atua, houveram várias mortes de domingo a segunda-feira.

Depois de reunião com o Gabinete de Crise do Sistema Prisional, em entrevista coletiva, Wilson Lima destacou novas providências do Governo do Estado em relação a segurança, como a aquisição de novos equipamentos de inteligência comunicação e, adequações estruturais em presídios e a ampliação da capacitação do Grupo de Intervenção Penitenciária (GIP), em parceria com o Governo Federal por meio da Força de Intervenção Penitenciária (FIP).

“O contrato com a Umanizzare já está se encerrando e já estamos começando o processo de cotação de preço para contratação de outra empresa para administrar o Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim). Desde o início do ano, estamos trabalhando na formatação de uma licitação para que empresas sejam contratadas para a administração do sistema prisional. Isso leva um tempo e há um processo de transição”, afirmou o governador.

Wilson explicou que, durante o tempo do processo licitatório para substituição da empresa, a Umanizzare deve participar da transição – ou seja, a gestora deve permanecer pelos próximos meses até o início do trabalho da sucessora.

O Governador  destacou também o apoio do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “Conversei com o ministro Sérgio Moro, que se colocou à disposição. Inclusive já havia encaminhado, no domingo, uma equipe precursora da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária e hoje estão chegando 20 homens que devem ficar aqui por um prazo de 90 dias. A expectativa é de que até o final dessa semana, 100 homens estejam aqui para ajudar no trabalho do GIP”, ressaltou.

O Governo do Amazonas também solicitou ao Governo Federal a permanência por mais 12 meses, da Força Nacional no Estado. A equipe atuará no reforço da segurança externa das muralhas das unidades prisionais. O ministro Moro, apoiou também a transferência, na terça-feira (28), de nove detentos identificados como mandantes das 55 mortes ocorridas nos presídios em Manaus, entre domingo e segunda-feira. Outros 20 presos também serão transferidos.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Emerson Tahan
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Em Manaus, 56 estabelecimentos são vistoriados pela Central de Fiscalização e dez são fechados

Em uma nova ação da Central Integrada de Fiscalização (CIF), coordenada pela Secretaria de…