Ataques de pânico: Aprenda o que fazer durante uma crise de ansiedade

101

Os números da ansiedade no mundo só tem aumentado. Uma crise de ansiedade pode ser considerada um momento de extrema sensação de angustia e insegurança. Essas sensações provocam descontrole na pessoa, acompanhada por um pressentimento de que alguma desgraça deverá acontecer. Neste momento, ataques de pânico são quase inevitáveis. Saber o que fazer, como agir nesses momentos pode até salvar vidas.

Ataques de pânico: Aprenda o que fazer durante uma crise de ansiedade - Imagem: Divulgação
Ataques de pânico: Aprenda o que fazer durante uma crise de ansiedade – Imagem: Divulgação

De acordo com o Prof. Alessandro Baitello, terapeuta e hipnólogo clínico, as crises de ansiedade surgem de forma repentina, e são caracterizadas por sintomas coração acelerado, náuseas, desconforto estomacal e tremores e medo intenso. São momentos assustadores, pois todos os piores sentimentos do ser humano vem à tona quando ele está sofrendo em crise e por isso é importante saber como controlá-los.

O psiquiatra Dr. Persio Ribeiro de Deus, revelou em sua coluna no site Minha Vida que é muito importante não tentar lutar contra o pânico. Ele explique que este, não é um mecanismo consciente, ele é decorrente de mecanismos cerebrais automatizados e involuntários localizados em regiões automáticas ou não conscientes. Faz parte de um complexo sistema de defesa do organismo.

A matriz do pânico é o medo, e um medo incontrolável. É difícil conter esses pensamentos. Dentre os piores temos o medo de morrer, o medo de perder o controle, a certeza de que algo muito ruim realmente irá acontecer, a certeza de que realmente estou muito doente, mas ninguém leva isso a sério”, explicou Dr. Persio.

  • 5 diferentes tipos de transtornos de ansiedade:

CONTROLAR A RESPIRAÇÃO
Embora isso possa parecer pouco eficaz, é a primeira dica que os especialistas dão. Uma pessoa em crise de ansiedade respira rápido demais e isso causa uma hiperventilação. Inspirar lentamente e expirar lentamente, sem pressa irá reduzir o estresse e a fornecer oxigênio ao cérebro. Assim que o cérebro é oxigenado é possível ao paciente, manter a concentração nas suas ações. Isso, certamente, diminuirá a sensação de asfixia e incapacidade de respirar.

• A dica é: Tente dar, no mínimo, 8 respiradas profundas por minuto. Demore 4 segundos para inalar, prenda a respiração por 2-3 segundos e demore outros 4 segundos para soltar o ar.

RELAXAMENTO MUSCULAR
Durante uma crise de ansiedade o corpo todo fica tensionado, os músculos ficam rígidos e endurecem como um mecanismo de defesa. Assim, o passo seguinte, segundo os especialistas, é tentar fazer o relaxamento muscular assim que a respiração estiver parcialmente ou totalmente controlada. A tensão muscular durante uma crise traz mais estresse e dá a sensação de peso e carga, o que só piora o quadro. É recomendado o relaxamento de grupos musculares mais tensos (ir relaxando a face, a nuca e pescoço, os ombros, os braços, o tórax e assim sucessivamente).

• A dica é: contrair os músculos por cinco segundos e depois relaxar. Repetir esse movimento uma vez com os diferentes grupos musculares do corpo, começando com a cabeça e o pescoço. Todo o corpo precisa desse relaxamento, principalmente as áreas mais afetadas pelo estresse: maxilar, boca, nuca e ombros.

DISTRAÇÕES COGNITIVAS
Estudos comprovam que durante uma crise de ansiedade, se a pessoa ocupar a mente com coisas aleatórias, irá distrair os pensamentos e canalizá-los. Qualquer distração que afaste sua mente do fator desencadeador da crise de ansiedade é válida.

• A dica é: conte os números ímpares de 100 a 0, cante uma música inteira, faça uma lista de seus 20 filmes preferidos ou do que quiser. Sua mente poderá tentar voltar aos pensamentos ruins, mas force-a a fazer os exercícios.

ESCREVA SEUS SENTIMENTOS
Umas das melhores formas de libertar-se do medo é escrevendo o que você está sentindo. Isso é importante, porque geralmente, uma pessoa com pânico não consegue explicar seus sentimentos. Escrever ajudará a focar os pensamentos, e reler os textos poderá ajudar a controlar melhor a ansiedade.

• A dica é: escreva o que você sente, o que lhe causa medo e por que a ansiedade surgiu

Fonte: Diário de Biologia

Comentários