Barragens na Amaz√īnia podem se romper a qualquer momento

27

No dia (6/11), em Manaus, na audi√™ncia p√ļblica ‚ÄúImpactos ambientais da instala√ß√£o das hidrel√©tricas de Santo Ant√īnio e Jirau na calha do Madeira‚ÄĚ, proposta pelo deputado estadual Dermilson Chagas (PDT-AM), o doutor em Biologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amaz√īnia (Inpa), Philip Fearnside, alertou que hidrel√©tricas, na Amaz√īnia, n√£o resistir√£o a grandes enchentes.

Segundo o pesquisador, as hidrel√©tricas de Santo Ant√īnio e Jirau n√£o est√£o preparadas para as poss√≠veis grandes enchentes e as consequ√™ncias para a regi√£o e sua popula√ß√£o s√£o imprevis√≠veis, na regi√£o moram aproximadamente 200 mil pessoas. De acordo com o doutor Philip, a falta de uma avalia√ß√£o s√©ria antes da obra colocou as barragens sob risco de rompimento e estudos n√£o levaram em considera√ß√£o as mudan√ßas que o clima sofreria no futuro.

As declara√ß√Ķes s√£o preocupantes, pois na ultima quinta-feira (5/11), um grande desastre ocorreu em Minas Gerais, quando as barragens do Fund√£o e de Santar√©m, se romperam e despejaram 62 milh√Ķes de metros c√ļbicos de rejeito de min√©rio e √°gua sobre uma cidade inteira, at√© agora o numero de desaparecidos ainda √© grande.

As hidrel√©tricas de Santo Ant√īnio e Jirau sob risco de desastre
As hidrel√©tricas de Santo Ant√īnio e Jirau sob risco de desastre

Coment√°rios