Bodós Gigantes pré históricos

4429

Você sabia da existência de bodós gigantes pré históricos? Pois é! Existem! E é justamente sobre esse peixe que irei tratar hoje. Dessa vez dividiremos o post em três partes, a primeira sobre o bodó em si (culinárias e festas), a segunda especialmente sobre essa, como podemos dizer… curiosidade cabulosa e por fim sobre a lenda do bodóman (que inclusive está gravando um vídeo, dizem que é o vídeo mais esperado do ano!).

Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea
imagem : Kaah Castro

Culinário de Bodó

Em Manaus, quando alguém fala sobre o bodó a maioria já entorta o nariz, até mesmo quem nunca o provou, talvez, esse seja o peixe que mais sofre preconceito na capital amazonense. Com uma aparência rústica devido a sua carapaça de aparência pré-histórica, o bodó é vítima de preconceito na capital amazonense e, ao mesmo tempo, consegue ser o peixe mais popular de Iranduba, Parintins e Tefé.

Em Iranduba, por exemplo, existe o Festival do Bodó. Durante o festival, mais de 30 tipos de comidas são apresentados ao público. Entre elas estão o X-Bodó, Kibodó, Piracuí de Bodó, empada de Bodó, o Bodó de casaca, a maionese de Bodó, o vatapá de Bodó, entre outros, que são vendidos nas barracas dos organizadores do evento, que também conta com apresentações de bandas de forró e bolero.

Na Várzea de Iranduba, município localizado a 25 quilômetros de Manaus, aconteceu o 9º Festival Gastronômico ‘Bodó com Farinha’, no Restaurante Big Bom, nas margens do Rio Solimões.
Na Várzea de Iranduba, município localizado a 25 quilômetros de Manaus, aconteceu o 9º Festival Gastronômico ‘Bodó com Farinha’, no Restaurante Big Bom, nas margens do Rio Solimões.

Em Parintins, o bodó é atração à parte no Festival Folclórico do Boi Bumbá. Lá o bodó é o peixe mais popular. E quem estiver disposto a não se deixar levar pelas superficialidades, pode pedir ajuda a qualquer um dos vendedores que eles explicam com toda paciência a melhor forma de comer, já que o bodó precisa ser descascado. As escamas ásperas como lixas se aglomeram formando um casco, mas abaixo disso, é um peixe de carne abundante e pouquíssimas espinhas, dele, o parintinense come tudo e tem os ingredientes da cabeça como o ponto alto do seu sabor.

. O bodó, um peixe típico da região da Amazônia . O peixe tem uma carapaça formada por escamas duras, que deixam o peixe com uma aparência pré-histórica. Apesar disso, o sabor faz do bodó uma mercadoria especial.
. O bodó, um peixe típico da região da Amazônia . O peixe tem uma carapaça formada por escamas duras, que deixam o peixe com uma aparência pré-histórica. Apesar disso, o sabor faz do bodó uma mercadoria especial.
Peixe-símbolo da Ilha Parintins, AM
Peixe-símbolo da Ilha
Parintins, AM
Caldeirada de bodo enviada por : Kaah Castro
Caldeirada de bodo
enviada por : Kaah Castro
Caldeirada de Bodó
Caldeirada de Bodó
Uma refeição de bodó é típica gastronomia Amazônica e o caldo do bicho dizem que faz levantar qualquer doente! Os bodós acima, um pescador do ramal Pedro Machado tinha logrado êxito na pescaria em um igarapé. Garantiu o jantar. Foto : Purus Online / Divulgação
Uma refeição de bodó é típica gastronomia Amazônica e o caldo do bicho dizem que faz levantar qualquer doente! Os bodós acima, um pescador do ramal Pedro Machado tinha logrado êxito na pescaria em um igarapé. Garantiu o jantar.
Foto : Purus Online / Divulgação

Agora vamos falar sobre os bodós gigantes

Não encontrei muita referência escrita sobre esse peixe gigante, talvez, seja o mesmo bodó que conhecemos. O bodó normalmente possui o corpo revestido de placas ósseas, duras que pode agir como uma forma de proteção, como uma armadura e possuem cerca de 40cm.

Pelas fotos, mostra que eles possuem muito mais do que 40cm. O bodó fica sempre junto ao substrato, seja o solo, pedras ou pedaços de pau e sua boca ventral o ajuda a comer os detritos, algas e pequenos animais que ficam nesses locais. Também se escondem dentro de cavidades naturais, e os seus “ninhos” são construídos nas barrancas dos rios (logicamente quando a água está alta), como ilustrado abaixo.

Local ideal para "ninhos" de bodós , foto tirada no Lago dos Reis, região do Careiro/AM, alto Amazonas. Foto : Brasil e sua fauna / Divulgação
Local ideal para “ninhos” de bodós , foto tirada no Lago dos Reis, região do Careiro/AM, alto Amazonas.
Foto : Brasil e sua fauna / Divulgação

1 foto vale mais do que 1000 palavras

Shaun Brown, 14, levou um susto quando pescou no Grand Union Canal em Leicestershire um bodó. Este é possivelmente o primeiro a ser encontrado em um rio britânico. Especialistas dizem que é pouco provável que tenha migrado por causa do aquecimento global. E é mais provável que tenha sido libertado no canal após ficar muito grande para um aquário. Fonte: Daily Mail
Shaun Brown, 14, levou um susto quando pescou no Grand Union Canal em Leicestershire um bodó. Este é possivelmente o primeiro a ser encontrado em um rio britânico.
Especialistas dizem que é pouco provável que tenha migrado por causa do aquecimento global. E é mais provável que tenha sido libertado no canal após ficar muito grande para um aquário.
Fonte: Daily Mail
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea
imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea
imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea imagem : Kaah Castro
Bodó gigante pescado próximo ao Careiro da Várzea
imagem : Kaah Castro
Alguns comparam sua aparência com chuteiras, muitos outros deixam de prová-los pela sua estética agressiva.
Alguns comparam sua aparência com chuteiras, muitos outros deixam de prová-los pela sua estética agressiva.
Bodós Gigantes
Bodós Gigantes
Bodós Gigantes
Bodós Gigantes

 

1 vídeo vale mais do que 1000 fotos

Comentários

comentários

Loading...