Boi Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura parintinense ao Teatro Amazonas

62

A noite do último sábado, 31 de março de 2018, o boi Caprichoso, atual campeão do Festival Folclórico de Parintins, fez um espetáculo de arrepiar, nunca antes visto na história da cultura amazonense.

Em um espetáculo sem precedentes, o Boi Bumbá Caprichoso reafirmou seu pioneirismo ao adentrar o palco do Teatro Amazonas, ícone da arte brasileira e mundial, para realizar um registro audiovisual inédito: a gravação do DVD “Sabedoria Popular – Uma Revolução Ancestral”, tema que vai reger as três noites de apresentação no 53º Festival Folclórico de Parintins.

A emoção tomou conta dos torcedores, que preencheram os espaços do teatro colorindo o local em todos os tons de azul e, com olhos atentos, acompanharam cada detalhe da obra, que teve a assinatura do pesquisador e teatrólogo Márcio Braz, responsável pela direção artística do DVD, junto aos conselheiros de arte Chico Cardoso, Jair Almeida e Zandonaide Bastos. Na direção geral, o Presidente da Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso, Babá Tupinambá, o vice-presidente, Jender Lobato e o coordenador do Conselho de Arte, Ericky Nakanome.

Depois de materializar o Teatro Amazonas em inúmeras e vitoriosas apresentações na arena do Bumbódromo de Parintins, foi a vez de o Boi Caprichoso marcar o solo sagrado do templo da cultura amazonense, em uma noite revolucionária, que não será esquecida por quem teve a oportunidade de presenciá-la. Junto ao elenco de itens oficiais do azul e branco, fizeram parte da apresentação cinco grupos coreográficos: Corpo de Dança Caprichoso (CDC), Troup Caprichoso, Grupo Caxemira, Cia de Dança Arte Sem Fronteira e Balé Folclórico do Amazonas. As torcidas oficiais Raça Azul e Força Azul e Branca (FAB) abrilhantaram a noite.

Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira
Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira

“Meu sentimento e o de todos os envolvidos neste trabalho é de dever cumprido. Foi um espetáculo formidável e a maior recompensa é ver o sorriso e a alegria da nação azulada. Fazer o torcedor feliz é nossa maior missão. Só tenho a agradecer a toda a equipe, pois tudo isso e fruto da nossa união e objetivo em comum, que é o bicampeonato do Boi Caprichoso”, disse o presidente Babá Tupinambá.

Caprichoso no palco – O Balé Folclórico do Amazonas emoldurou a Cunhã-Poranga Marciele Albuquerque, na encenação que deu início à gravação. Ao som da chamada tradicional, feita pelo Amo do Boi Prince do Caprichoso, a Marujada de Guerra e o Imperador David Assayag empolgaram o público, que mostrou estar com as toadas 2018 na ponta da língua, ao cantar “Festança Multicultural”. A Porta-Estandarte Marcela Marialva provou que já conquistou espaço fixo no coração da galera, incendiando o teatro ao se apresentar junto às torcidas oficiais, com a toada “Pavilhão Azul”.

Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira
Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira

Outro ponto alto foi a cênica do Auto do Boi, com a tradicional narrativa representada por Pai Francisco, Mãe Catirina, Amo do Boi, Sinhazinha da Fazenda e o dono da festa, Boi Caprichoso, que revive após poderosa pajelança do curandeiro da tribo. Com o tripa oficial, Alexandre Azevedo, o boi fez sua evolução, embalado por “Amado Touro Negro”.

A Rainha do Folclore Brena Dianná fez jus ao verso de sua toada tema em 2018, “Majestade do Folclore”, que diz “a estrela do meu boi se rendeu a tua beleza”. A bela parintinense, que este ano completa uma década defendendo o item número 8, impressionou os torcedores com seu bailado.

A índia mais bela da tribo, personificada por Marciele Albuquerque retornou para uma apresentação marcada por força e garra, com a toada “Deusas da Guerra”. A Sinhazinha da Fazenda Valentina Cid evoluiu ao som de “Azul do Meu Amor” e mostrou toda sua graça e leveza no palco do teatro.

“Apocalipse Xamânico” foi a trilha da apresentação do pajé Netto Simões, que dividiu o palco com bailarinos do Grupo Caxemira. O apresentador Edmundo Oran chamou a atenção em sua performance como boto conquistador, dançando com Brena Dianná a toada “Boto Romanceiro”.

A emoção da galera azul e branca ao fazer história com o Boi Caprichoso, no Teatro Amazonas, foi coroada com as toadas “Sou A Galera”, “Imbatível Galera” e “Boi de Negro”, uma das grandes apostas do bumbá para a temporada 2018, por remontar as raízes da negritude, um dos elementos que influenciaram a dança do Boi Bumbá.

“Estou extasiado com a realização deste trabalho, com pessoas deste nível de profissionalismo, agregando aos talentos do Boi Caprichoso outros grupos que só tem a somar em espetáculos grandiosos, como o que o Boi Caprichoso realizou no Teatro Amazonas. Orgulho e gratidão definem a conclusão desta obra”, disse coordenador do Conselho de Arte, Ericky Nakanome.

Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira
Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira

Detalhes – O espetáculo contou com mais de 200 pessoas envolvidas direta e indiretamente, entre produtores, artistas, itens oficiais, figurinistas e bailarinos. Os figurinos foram, em parte, confeccionados em Parintins, trazendo uma mistura de elementos folclóricos, tribais e afros. Outras indumentárias foram cedidas pela Central Técnica de Produção do Teatro Amazonas (CTP).

Uma iluminação cênica especial, com uso de luzes de ribalta, tradicionais no teatro, moving light e efeitos especiais, ajudou a compor o cenário.

O DVD “Sabedoria Popular – Uma Revolução Ancestral” também teve imagens gravadas em Santarém (PA), com a equipe da empresa Paulino Produções, sob a direção de Jair Almeida, com a participação do apresentador, Edmundo Oran. Na última quinta-feira, 29 de março, Marciele Albuquerque foi a personagem principal das gravações em Presidente Figueiredo, personificada como Deusa da Guerra.

O Caprichoso realiza a última etapa da fase das gravações no dia 21 de abril, quando promove festa no curral Zeca Xibelão, em Parintins.

A obra teve Jender Lobato, Saullo Viana, Délio Diniz e Zezinho Cardoso no comando da Produção Executiva. Chico Cardoso, Jair Almeida e Zandonaide Bastos assinam a Direção Artística. Na Produção de Campo, Daniel Baima, Edinalda Sampaio e Irian Butel. Felipe Monteiro coordenou a Direção de Coreografias, enquanto a Coordenação de Galera ficou com Neto Malta, Nilson Matos e Diego Andrade.

Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira
Caprichoso leva sabedoria popular, raízes e cultura ao Teatro Amazonas / Foto: Katiuscia Ferreira

Comentários