Home Notícias Polícia Boxeadora brasileira é suspeita de espancar marido até a morte

Boxeadora brasileira é suspeita de espancar marido até a morte

4 min - tempo de leitura
407

A boxeadora brasileira Viviane Obenauf, de 34 anos, que já lutou três vezes pelo título mundial da categoria super-pena, foi presa por ser a principal suspeita de espancar marido, de  61 anos, até a morte. O homem, cujo nome é Thomas, e o sobrenome é protegido pela justiça, trocou alianças com a brasileira no dia 25 de janeiro deste ano.

A agressão e a morte teriam acontecido na residência em que dividiam. Viviane atualmente está sob custódia de investigação depois que a vítima morreu em uma “agressão violenta sustentada”. A morte teria sido consequência de “ferimentos graves” causados ​​por um objeto contundente, afirmou a polícia suíça, que também vasculhou a academia da brasileira, bem como o apartamento do casal. As informações da imprensa europeia foram compiladas pelo jornal inglês Daily Star.

Viviane nasceu no Rio de Janeiro e ainda jovem jogou futebol e foi ginasta olímpica antes de se dedicar ao boxe aos 18 anos. Nos ringues, venceu 14 lutas contra seis derrotas, antes de se aposentar dos ringues em 2019. Na Suíça, passou a trabalhar em hotéis até, mais tarde, abrir sua própria academia.

O jornal suíço Blick revelou que a ex-boxeadora já havia sido detida uma vez, em 2016, em uma boate de Londres, depois de socar um homem no rosto porque ele tentou apalpá-la durante as comemorações de seu aniversário seu 30º aniversário. O incidente a levou a passar várias horas em uma cela de uma delegacia inglesa.

A vítima, dono de um restaurante em Des Alpes, em Interlaken, teve velas e flores colocadas do lado de fora da entrada de seu estabelecimento. Uma nota afixada na porta do restaurante dizendo que ele reabriria em 24 de novembro foi removida. Os gerentes ainda não podem dizer quando o restaurante será aberto novamente e os funcionários foram colocados em licença.

 

 

Ao jornal Blick, um ex-namorado de Viviane revelou que a brasileira já o agrediu e que seu comportamento violento e explosivo: “Ela sempre teve duas faces. É como apertar um botão”. O rapaz, que é halterofilista, revelou que, quando os dois namoravam, a brasileira teve um ataque de ciúmes e lhe desferiu de quatro a cinco socos no rosto. Ele fugiu para o banheiro e viu o estrago que os golpes tinham lhe feito, que incluíam um rasgo na boca que causou um grande sangramento. Os dois, que haviam bebido uma garrafa de vinho, se atracaram mais uma vez, com ele desferindo um tapa nela, que posteriormente teria ido dormir. Ele revelou também que tentou levá-la à justiça para, inclusive, acabar com sua carreira, mas que desistiu do processo após a morte de sua mãe.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Polícia

Deixe uma resposta

Leia Também

Governador do Pará oferece 30 leitos para pacientes do Amazonas com Covid-19

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou na noite desta quinta-feira (14) que…