Casal é acusado de afogar a própria afilhada para ganhar seguro de vida avaliado de R$ 260 mil

133

Um homem e uma mulher foram presos acusados de matar a afilhada Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, em Mongagu√°.

O crime aconteceu no estado de S√£o Paulo, segundo informa√ß√Ķes, a jovem teria sido v√≠tima de afogamento na praia, mas a Pol√≠cia Civil descobriu que, o casal de padrinho, queria o seguro de vida da jovem, avaliado em R$ 260 mil.

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoalSeguro

De acordo com informa√ß√Ķes da Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica (SSP), o corpo da jovem foi encontrado na praia por equipes do Corpo de Bombeiros, e estava com sinais de afogamento. A v√≠tima foi encaminhada ao Instituto M√©dico Legal (IML) e uma investiga√ß√£o foi iniciada pela Pol√≠cia Civil.

Depois de apura√ß√£o feita, as autoridades descobriram que a jovem morava fora da regi√£o e quis viver com os padrinhos, um homem de 47 anos e uma mulher, de 41, no primeiro semestre deste ano, para buscar novas oportunidades. A madrinha, contudo, era a √ļnica benefici√°ria de um segura feito pela v√≠tima.

De acordo com a Polícia Civil, a jovem foi morta no mar de forma proposital, pelo padrinho, em meio a um nevoeiro, para que o casal ficasse com o valor da indenização, recebida em caso de acidentes. Os dois simularam que a afilhada teria se afogado para esconder o homicídio.

Na √ļltima sexta-feira (17), logo ap√≥s o pedido de pris√£o preventiva ser decretado pela Justi√ßa, os policiais prenderam os suspeitos na casa em que residiam, na cidade de Itanha√©m. Foram encontrados v√°rios documentos, livros e um punhal.

Fonte: Manaus Alerta

Coment√°rios