Chuva de meteoros vindos do cometa Halley poder√° ser vista no Brasil neste fim de semana

494

Neste fim de semana, quem puder viajar para o interior do estado poderá ver um belo espetáculo no céu durante as madrugadas.

Desde o in√≠cio do m√™s de outubro at√© o come√ßo de novembro, a Terra atravessa uma trilha de detritos deixada pelo cometa Halley por suas passagens pelo interior do Sistema Solar ao longo dos s√©culos. Assim, neste per√≠odo costuma haver um aumento na visualiza√ß√£o das chamadas ‚Äúestrelas cadentes‚ÄĚ, na verdade pequenas rochas e gr√£os de poeira que se incendeiam do topo da atmosfera a velocidades que podem passar dos 230 mil quil√īmetros por hora, em fen√īmenos conhecidos como ‚Äúchuvas de meteoros‚ÄĚ.

A ‚Äúchuva‚ÄĚ √© batizada Ori√īnidas por ter seu chamado radiante – a regi√£o do c√©u de onde a maior parte das ‚Äúestrelas cadentes‚ÄĚ parece estar ‚Äúsaindo‚ÄĚ -, pr√≥ximo √† constela√ß√£o de √ďrion, mais conhecida no Brasil pelo asterismo ‚ÄúTr√™s Marias‚ÄĚ. Considerada uma chuva de meteoros de intensidade moderada, a previs√£o √© de que as Ori√īnidas deste ano atinjam seu pico entre madrugada deste s√°bado e a de domingo, com uma taxa de 15 a 20 meteoros por hora. Em outros anos, no entanto, o fen√īmeno chegou a registrar auges de at√© 80 ‚Äúestrelas cadentes‚ÄĚ por hora.

Como o brilho deste tipo de fen√īmeno em geral √© muito fraco, sua visualiza√ß√£o √© muito dif√≠cil em grandes cidades, onde a polui√ß√£o luminosa ‚Äúapaga‚ÄĚ as estrelas no c√©u. Assim, para melhor observa√ß√£o, a recomenda√ß√£o dos especialistas √© procurar um lugar mais escuro poss√≠vel, longe de fontes de ilumina√ß√£o, sem nuvens e com o horizonte livre na dire√ß√£o Leste, onde a constela√ß√£o de √ďrion vai surgir por volta das 22h30 (hor√°rio de Bras√≠lia) e lentamente se encaminhar para a dire√ß√£o Norte e o z√™nite (o ‚Äútopo‚ÄĚ do c√©u), antes de ‚Äúsumir‚ÄĚ com o nascer do Sol.

Embora n√£o seja das mais ‚Äúintensas‚ÄĚ, a chuva das Ori√īnidas √© uma das chuvas de meteoros peri√≥dicas de visualiza√ß√£o mais f√°cil. Isto porque n√£o s√≥ a constela√ß√£o do radiante √© facilmente reconhec√≠vel pela maioria das pessoas como ele est√° numa regi√£o do c√©u com boa visibilidade tanto nos hemisf√©rios Norte quanto no Sul. Assim, as Ori√īnidas podem ser observadas em praticamente todos os continentes do planeta, com exce√ß√£o da Ant√°rtica. E este ano a chuva tem ainda a vantagem de coincidir com uma √©poca de Lua nova, de forma que o brilho do sat√©lite tamb√©m n√£o vai atrapalhar a observa√ß√£o das t√™nues ‚Äúestrelas cadentes‚ÄĚ.

A alta velocidade e o pequeno tamanho dos detritos que provocam as Ori√īnidas fazem com que sejam praticamente nulas as chances de um destes meteoros chegar ao solo, quando ent√£o passam a ser conhecidos como meteoritos. Essas caracter√≠sticas, no entanto, tamb√©m podem refor√ßar a beleza do espet√°culo, j√° que cerca da metade das ‚Äúestrelas cadentes‚ÄĚ da chuva devem formar o que se chamam ‚Äútrilhas persistentes‚ÄĚ, tra√ßos de g√°s ionizado que continuam a brilhar durante mais alguns segundos depois de o meteoro ter sido vaporizado.

Os destro√ßos do Halley tamb√©m s√£o apontados como respons√°veis por outra chuva de meteoros conhecida como Eta-Aquar√≠deas, cujos picos costumam ocorrer no in√≠cio de maio. A √ļltima passagem do cometa pelo interior do Sistema Solar ocorreu em 1986 e a pr√≥xima est√° prevista para acontecer em 2061.

Chuva de meteoros vindos do cometa Halley poderá ser vista no Brasil neste fim de semana - Imagem: Divulgação
Chuva de meteoros vindos do cometa Halley poderá ser vista no Brasil neste fim de semana РImagem: Divulgação

Coment√°rios