Cidade em Caos : Princípio de Rebelião na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus

304

Na noite desta quinta-feira (23),os detentos transferidos para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, fizeram um motim, por enquanto sem uma motivação aparente.

O secretário de segurança pública, delegado Sérgio Fontes, confirmou a ação dos presos e informou que viaturas da Rocam e da Força Tática foram encaminhadas para o presídio e tentou tranquilizar a população dizendo que todas as forças de segurança foram acionadas para investigar e coibir danos ao patrimônio público e privado na capital, além de conter os presos.

Embora o delegado tenha confirmado, para a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) não houve princípio de rebelião.

Loading...

Para a Seap, tudo não passou de enxame e a situação foi controlada e a Polícia Militar foi chamada para dar apoio ao interno, que foi encaminhado para atendimento hospitalar.

Confira a nota abaixo:

“A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), informa que na noite desta quinta-feira (23), a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa (CPDRVP), registrou um tumulto de presos que fizeram um “batidão de grades” por conta de um interno que estava passando mal e precisava de atendimento. A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) foi acionada para prestar apoio e o interno será encaminhado para atendimento hospitalar. A Seap ressalta que a situação está controlada e não houve indícios de principio de rebelião como tem circulado nas redes sociais”.

Na noite desta quinta-feira (23),os detentos transferidos para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, fizeram um motim, por enquanto sem uma motivação aparente.
O secretário de segurança pública, delegado Sérgio Fontes, confirmou a ação dos presos e informou que viaturas da Rocam e da Força Tática foram encaminhadas para o presídio e tentou tranquilizar a população dizendo que todas as forças de segurança foram acionadas para investigar e coibir danos ao patrimônio público e privado na capital, além de conter os presos.
Populares comentaram que há detento mortos dentro da unidade prisional, que deve funcionar até o próximo dia 30 de abril. Entretanto, o secretário de segurança negou que tenha tido mortes dentro da cadeia. / ACrítica

Comentários

comentários