Com 4 tuítes o vereador Carlos Bolsonaro gerou nova crise no governo

884

Tudo come√ßou quando ontem (22), Mour√£o desprezou um v√≠deo em que Olavo faz cr√≠ticas a militares. Segundo o vice-presidente, o guru de Bolsonaro deve se limitar √† fun√ß√£o de “astr√≥logo”. “Acho que ele deve se limitar, ele, Olavo de Carvalho, √† fun√ß√£o que ele desempenha bem, que √© de astr√≥logo. Pode continuar a prever as coisas a√≠ que ele √© bom nisso”, disparou.

A resposta de Carlos Bolsonaro veio no seguinte tuíte:

O vereador ainda resgatou o caso da pol√™mica “curtida” de Mour√£o em uma publica√ß√£o da jornalista Rachel Sheherazade em que ela criticava Jair Bolsonaro e elogiava o general. A “curtida” motivou o envio de um pedido de impeachment do vice pelo deputado Marco Feliciano (Podemos-SP).

Por fim, Carlos Bolsonaro exp√īs um convite publicado por um de seus seguidores para uma palestra de Mour√£o nos Estados Unidos, no Wilson Center. No convite, est√° escrito em ingl√™s que os primeiros 100 dias do governo Bolsonaro foram marcados por paralisia pol√≠tica causada “pelo c√≠rculo mais pr√≥ximo ao presidente quando n√£o por ele mesmo”.

O texto ainda elogia Mour√£o como “voz da raz√£o e modera√ß√£o” e algu√©m “capaz de trazer uma dire√ß√£o para assuntos dom√©sticos e internacionais”. “Se n√£o visse, n√£o acreditaria que aceitou com tais termos”, disse Carlos.

N√£o satisfeito, o vereador ainda critica uma entrevista do Mour√£o, na qual menciona o apoio dos militares venezuelanos ao presidente Nicol√°s Maduro e diz que a popula√ß√£o do pa√≠s vizinho “tem que estar desarmada porque sen√£o n√≥s ir√≠amos para uma guerra civil na Venezuela, o que seria horr√≠vel para o hemisf√©rio como um todo”.

A briga é mais um capítulo no cabo-de-guerra entre Olavistas e militares no governo Bolsonaro. Essa disputa teve desdobramentos importantes como a demissão do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrigues.

Coment√°rios