Com aparência de mendigo, ex-governador José Melo é fotografado e causa espanto

1959

Na última terça-feira , 09, o ex-governador cassado José Melo,  foi intimado pela juíza Sanã Nogueira Almendros de Oliveira a comparecer no Juízo de Direito da 15ª Vara do Juizado Especial Criminal, José Melo chegou só, sem advogado – isolado de tudo e de todos.

A imagem que vem correndo em grupos de Whatsapp mostra um José Melo muito diferente daquele que enquanto estava no poder, posava de “vovô fortinho”. O ex-governador José Melo foi fotografado com a aparência de um mendigo. Muito mais magro, com camisa amarela, chinelo de dedo, abatido e com barba a grande.

José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação
José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação

A imagem chamou atenção das pessoas que estavam nos corredores do Fórum de Aparecida. O mais humilhante de toda essa cena, foi que além de tudo, essa transferência não passou de um engano. Sua presença no local não durou quinze minutos.

Melo havia sido comunicado logo cedo de que estava sendo chamado a depor. O comunicado, entretanto, não tinha o carimbo do juiz. Ao que tudo indica, tratou-se de erro de algum funcionário da Vara. Conduzido do Centro de Detenção Provisória, na BR-174, às 8h, ele chegou ao Fórum meia hora depois.

Na sala de audiência da 15ª Vara do Juizado Especial Criminal não restou para o Ministério Público outra alternativa senão pedir a designação de outra audiência, pedido acatado pela juíza Sanã Nogueira Almendros de Oliveira.

Constatado o engano, foi liberado e retornou ao presídio.

José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação
José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação

Nem mesmo os advogados do ex-governador sabiam dessa convocação. O processo em que teria sido arrolado como testemunha diz respeito a um despacho dele, ainda no Governo, que teria desobedecido ordem judicial. O então chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, também figura como acusado.

O ex-governador está preso há mais de 100 dias, e pesa sobre ele a acusação de envolvimento no esquema que desviou mais de R$ 120 milhões da saúde do Amazonas, além da compra de votos. Ele ainda não foi solto porque acabou acusado pela Polícia Federal de ter tentado ocultar provas e obstruir a Justiça, junto com sua esposa, Edilene Gomes de Oliveira, também presa.

José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação
José Melo no Tribunal / Foto : Divulgação

Comentários