“Como est√°, vamos perder a Amaz√īnia”, disse Bolsonaro ao propor a explora√ß√£o da Amaz√īnia em parceria com os Estados Unidos

592

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nessa segunda-feira (8), em entrevista √† r√°dio Jovem Pan, que prop√īs ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma parceria para a explora√ß√£o da Amaz√īnia. O governante brasileiro defendeu tamb√©m projetos de desenvolvimento focados na regi√£o.

Jair Bolsonaro e Donald Trump no Jardim das Rosas. / Foto: Kevin Lamarque/Reuters
Jair Bolsonaro e Donald Trump no Jardim das Rosas. / Foto: Kevin Lamarque/Reuters

“Voc√™ pega Roraima, l√° em baixo da terra tem uma tabela peri√≥dica, n√£o podemos perder isso. Quando estive agora com o Trump, conversei com ele, entre outras coisas, que quero abrir para ele explorar a regi√£o amaz√īnica, em parceria. Como est√°, vamos perder a Amaz√īnia. Aquela √°rea √© vital para o mundo, √© uma √°rea important√≠ssima”, disse.

Ao ser questionado pelo jornalista Augusto Nunes sobre o que queria dizer com perder a Amaz√īnia, Bolsonaro alegou que a ONU discute com ind√≠genas a possibilidade de se criar novos pa√≠ses no Brasil. Ele tamb√©m acusou uma minoria dentro da Funda√ß√£o Nacional do √ćndio (Funai) de impedir o desenvolvimento da regi√£o para “ganhar dinheiro em cima dos ind√≠genas”.

“A pr√≥pria ONU discute com povos ind√≠genas pa√≠ses aqui dentro, isso pode vir acontecer. Sim, na quest√£o do clima, at√© em¬†quest√Ķes subjetivas que estariam fora dessa quest√£o, porque tem a¬†quest√£o do triplo A, que √© uma grande faixa que vem de Andes, Amaz√īnia e Atl√Ęntico. A √°rea equivale a 136 milh√Ķes de hectares e tem um corredor de 50 km (comprimento) a 150 km (largura), que passa na calha do Amaz√īnia. Pela manobra, podemos perder toda a regi√£o Norte. O pessoal da Amaz√Ķnia, do norte da Amaz√īnia, do Samuel (sic, refere-se a S√£o Gabriel) da Cachoeira, pr√≥prio Manaus, que n√£o cresceria, e Roraima. Estariam isolados do resto do mundo”, comentou o presidente.

Durante a entrevista, Bolsonaro tamb√©m afirmou que pretende rever todas as demarca√ß√Ķes √≠ndigenas¬†que puder.¬†“Para voc√™ hoje em dia fazer um linh√£o de Manaus para Roraima, que chama de Linh√£o de Tucuru√≠, voc√™ tem problemas com reservas ind√≠genas. Os √≠ndios querem, entre outras coisas, pelo o que estou sabendo, est√£o nos ultimando isso a√≠,¬†que se pague por royalties¬†pela linha de transmiss√£o de energia. Eu topo pagar o royalties sem problema nenhum. Mas √© uma situa√ß√£o que atrapalha grande parte dos pr√≥prios √≠ndios”, destacou.

Assista o trecho da entrevista a partir de 9:24.

*Com informa√ß√Ķes do Portal A Cr√≠tica

Coment√°rios