Inicial Notícias Manaus Daqui até a alta do último paciente, o hospital municipal de campanha será gerenciado totalmente pela Prefeitura

Daqui até a alta do último paciente, o hospital municipal de campanha será gerenciado totalmente pela Prefeitura

O prefeito Arthur Virgílio Neto confirmou, por meio de suas redes sociais, que a Prefeitura de Manaus vai assumir integralmente o gerenciamento do hospital de campanha municipal Gilberto Novaes, até que o último paciente internado com Covid-19 receba alta. O grupo Samel e instituto Transire, parceiros da prefeitura desde o primeiro momento da instalação do hospital, cuidam da transição na gestão da unidade. O hospital tem, aproximadamente, 90 pessoas internadas recebendo o tratamento.

Prefeito Arthur Neto

“Sou muito grato à Samel e ao instituto Transire, porque fizemos a diferença nesse período da pandemia, oferecendo o desafogo necessário ao sistema de saúde estadual que estava em colapso. Salvamos vidas, ajudamos a cidade em um momento muito difícil e a prefeitura assume, a partir daqui, até o momento que não sejam mais necessários os serviços do hospital de campanha”, afirmou o prefeito, completando que irá observar o cenário para tomar as decisões futuras quanto à manutenção ou não do hospital, dependendo da evolução ou involução da pandemia do novo coronavírus.

Em quase 60 dias de trabalho, foram mais de 500 altas. O hospital de campanha está em total condições de funcionamento, com os protocolos testados e definidos, pessoal treinado, equipamentos e com 180 leitos sendo 39 UTIs, todos equipados com a cápsula Vanessa, de respiração não invasiva. “No momento mais crítico dessa pandemia, estávamos trabalhando e, graças aos parceiros e trabalhadores da saúde, pudemos contribuir nesse momento difícil”, disse o até então coordenador do hospital, Ricardo Nicolau.

O grupo Samel sugeriu ao prefeito de Manaus que mantenha o hospital para cirurgias de baixa e média complexidade, inclusive encaminhando um projeto para o seu funcionamento. Arthur afirmou que considera a proposta muito boa e que vai avaliá-la, levando em conta o que a população pensa e também o contrato existente com o Banco Mundial, que disponibilizou os recursos para a construção de um complexo de educação com escola de ensino infantil e fundamental. O prédio onde funciona o hospital já estava pronto para ser inaugurado e integrado à rede municipal de ensino quando teve início a pandemia. Diante da ausência de leitos para receber os pacientes de Covid-19 na cidade, o prefeito decidiu transformá-lo em um hospital de campanha, com as parcerias da Samel e Transire.

“Foi a nossa forma de ajudar e o amor por Manaus nos moveu. Não era obrigação do prefeito, a minha obrigação era entrar com o Samu, com as UBSs, com a atenção primária. Mas entramos na esfera da média e alta complexidade porque era o que Manaus precisava desesperadamente naquele momento. E eu amo a minha cidade, o meu Estado, a minha região. Fiz o que era necessário e manteremos o hospital até a última alta”, garantiu Virgílio.

O prefeito destacou, ainda, a grande confiança da população de Manaus nos métodos e acolhimento do hospital de campanha. “As pessoas nos ligavam querendo levar seu parente para lá, porque sabiam que iriam receber um tratamento de primeira e essa experiência, que não foi uma aventura, deu seus frutos. Sempre serei grato, como pessoa e como prefeito, aos nossos parceiros”, disse o prefeito Arthur Neto, finalizando com a pensamento que o trabalho feito pelo hospital de campanha terá seu reconhecimento histórico.

Comentários

Carregue Mais Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta