Delação via Disk Denúncia da Seap aponta visitantes com produtos ilegais em presídio

Uma denúncia anônima ajudou os agentes da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) a identificar duas mulheres tentando entrar com produtos ilegais em presídio neste fim de semana. No sábado (6), a irmã e a esposa de um interno do Centro de Detenção Provisório de Manaus (CDPM 1) levavam em suas partes íntimas 90 e 72 gramas de entorpecentes, respectivamente, quando foram flagradas durante revista no equipamento de escaneamento corporal (Body Scan).

O coordenador do Sistema Penitenciário (Cosipe) da Seap, Major Renan Carvalho, disse que o Departamento de Inteligência recebeu a informação de que as visitantes levariam drogas no dia de visitação. “Ao chegarem na unidade, ambas passaram no raio X corporal, e detectamos os ilícitos introduzidos em seus corpos, conforme denúncia”, informou.

Carvalho afirmou que as denúncias podem ser feitas pelo WhatsApp 99297-3068. As informações são mantidas em sigilo.

Ainda neste domingo (7/4), na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), a irmã de um interno tentou entrar no presídio com 15 chips de celular e um cartão de memória de 2G enrolados na mão, sendo barrada por agentes de ressocialização da unidade. No Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), uma visitante escondia 256 gramas de entorpecentes nas partes íntimas.

As quatro visitantes foram encaminhadas para o 19º Departamento Integrado de Polícia (DIP) e poderão ter o registro de visitas suspenso ou cancelado.

*Com informações de assessoria

Comentários

Receba nossas atualizações em seu e-mail: