Deputado reprova medida do Governo Federal que retirou implantação de Universidades no Amazonas de pauta do Congresso Nacional

O deputado estadual Roberto Cidade se posicionou contra a medida do Governo Federal que retirou de tramitação, na última sexta-feira, 15, o Projeto de Lei 11.279/19 que criava a Universidade Federal do Médio e Baixo Amazonas e a Universidade Federal do Médio e Alto Solimões.

Cidade afirmou que apresentará uma moção de repúdio à medida adotada pelo Governo Federal. / Foto: Evandro Seixas
Cidade afirmou que apresentará uma moção de repúdio à medida adotada pelo Governo Federal. / Foto: Evandro Seixas

“Infelizmente, para todos aqueles que moram no interior e sonhavam com uma Universidade Federal, o sonho foi por água abaixo. A medida é um retrocesso e nos mantém na condição de Estado com dimensões continentais e que conta apenas com uma universidade federal, obrigando os jovens e adultos que procuram uma formação superior, se deslocar para Manaus” afirmou o deputado.

O projeto foi elaborado ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer e tratava de diversos temas ligados à educação pública federal. Cidade afirmou que apresentará uma moção de repúdio à medida adotada pelo Governo Federal.

“Esperamos que o presidente Bolsonaro possa rever essa decisão e que a nossa bancada em Brasília, deputados federais e senadores, estejam unidos a nós na luta pela instituição das duas universidades”, concluiu Roberto Cidade.

Distribuição de vacinas no interior também foi destaque
Durante sua fala na tribuna, o deputado Roberto Cidade também destacou os esforços dos governos estadual e municipal na distribuição da vacina na capital e interior. Até o fim da tarde da última segunda-feira, 29 municípios, incluindo Manaus, já estavam abastecidos para a campanha de vacinação contra o H1N1, marcada para iniciar nesta quarta-feira, 20.

“Está sendo feito um trabalho muito grande para abastecer o interior. Recebemos a informação que hoje uma aeronave partiria para cinco municípios da região do rio Juruá e São Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro e amanhã, outra aeronave seguirá para a calha do Purus. Está sendo feito um esforço concentrado para que a campanha comece em todo o Estado”, afirmou.

Números atualizados
Já foram registrados 27 óbitos por H1N1 no Estado, sendo 22 em Manaus, dois em Manacapuru, um em Parintins, um em Itacoatiara e um em Japurá. Segundo o boletim epidemiológico, são seis óbitos confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, sendo cinco de Manaus e um de Borba, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3.

*Com informações de assessoria

Comentários

Receba nossas atualizações em seu e-mail: