Home Notícias Polícia Doze pessoas e Vinte Quatro galos são presos por participarem de “rinha” no Puraquequara

Doze pessoas e Vinte Quatro galos são presos por participarem de “rinha” no Puraquequara

2 min - tempo de leitura
49

Doze pessoas foram presas pela polícia militar na tarde deste domingo (13) enquanto participavam de uma “rinha de galo”, em uma casa, que fica na Rua Padre Ludovico, Comunidade Bela Vista, Bairro Puraquequara. A competição é considerada ilegal.

Segundo policiais militares do Comando de Policiamento Ambiental (CPAmb), no início da tarde, uma pessoa ligou para o número 190 informando sobre uma competição de rinha de galo. Os policiais receberam apoio da 28° Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e foram até o local. Os policiais surpreenderam o grupo momento que eles promoviam a rinha. No local foram encontradas algumas aves em gaiolas, sendo que algumas apresentavam ferimentos e outras estavam aparentemente desfalecidas.

Os policiais apreenderam 24 galos vivos, mas feridos; um galo abatido; quatro pinças de aço; oito tesouras de aço; dois arcos de serra; 38 bicos de aço; um alicate; um vidro de remédio antibiótico; uma balança eletrônica; três caixas de contenção; 37 esporões de plástico; 35 panos de contenção; oito aparelhos celulares; um tubo de medicamento anestésico; e R$ 2.902 em espécie; R$ 1.427,00 em posse de Elias Paulo da Silva e R$ 1.473,00 que estava na mesa de apostas.

Foram detidos: Artemizo Vieira dos Santos, Claudio Roberto Oliveira da Silva, Cloude Anselmo Oliveira da Silva, Demison Menezes Gomes, Frank Gomes da Silva, Hugo Broni Xavier, Janderson de Oliveira Brandao, Lucivaldo Siqueira dos Santos, Pedro Alberto Alves de Menezes Filho, Valdefran Alves Rodrigues e Vanderlan Carvalho dos Santos.

O grupo foi levado ao 14º Distrito Integrado de Polícia (Dip) para os procedimentos cabíveis. As aves foram recolhidas e levadas para atendimento veterinário. O Batalhão ambiental informou que maltratar, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos configura crime ambiental, e seus autores estarão sujeitos às penalidades previstas na Lei Federal nº 9603/1998, conforme o artigo 32.

Fonte: D24am.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Polícia

Deixe uma resposta

Leia Também

Governador do Pará oferece 30 leitos para pacientes do Amazonas com Covid-19

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou na noite desta quinta-feira (14) que…