Durante briga por controle remoto jovem mata irmã

336

Um jovem de 20 anos foi preso suspeito de matar a facadas a própria irmã, de 18, após brigarem por um controle remoto. O homicídio ocorreu na casa em que ambos moravam com os pais no Setor Recanto das Minas Gerais, em Goiânia, durante a tarde da última terça-feira (20/2).

Vítima foi atingida por três golpes; irmão contou o crime para a avó e foi preso enquanto fazia um curativo na mão no Cais das Amendoeiras - Imagem: Reprodução
Vítima foi atingida por três golpes; irmão contou o crime para a avó e foi preso enquanto fazia um curativo na mão no Cais das Amendoeiras – Imagem: Reprodução

De acordo com o delegado plantonista, Paulo Cesar Bertoldo, o jovem alegou que perdeu a cabeça após uma briga para trocarem o canal de televisão. “Segundo ele, ambos brigavam constantemente, mas ontem (20) foi o estopim. Ele assistia a um canal e a vítima queria ver outro e, ao pegar o controle remoto, iniciou a briga. Após isso, ele pegou a faca e a golpeou”, conta.

A jovem foi atingida por três golpes: um na barriga, no peito e outro nas costas e morreu na hora. Após o crime, o autor foi para a casa da avó, localizada no mesmo setor. “Ele contou para a avó o crime que realizou e, posteriormente, foi ao Cais das Amendoeiras fazer um curativo, já que, durante o segundo golpe, a vítima tentou se defender e o jovem acabou levando um corte na mão”, destaca Paulo.

A própria família do autor foi quem chamou a polícia, que prendeu o jovem enquanto estava no Cais. O delegado não confirma a informação que o jovem sofra de algum distúrbio psicológico, mas conta que ele se mostrou bastante abalado. “A gente que trabalha todo o dia com isso acaba tendo uma noção de quando a pessoa acaba se abalando psicologicamente. Ele estava muito perturbado e alegou arrependimento do crime”, aponta.

O jovem foi encaminhado para a Central de Flagrantes e autuado por homicídio qualificado por motivo fútil, com pena de 12 a 30 anos de prisão.

Autor alega arrependimento no crime - Imagem: Reprodução/ TV Anhanguera
Autor alega arrependimento no crime – Imagem: Reprodução/ TV Anhanguera

 

Comentários