Home Notícias Polícia Em menos de 24h após matéria bombástica, MP-RJ diz que porteiro mentiu

Em menos de 24h após matéria bombástica, MP-RJ diz que porteiro mentiu

4 min - tempo de leitura
19

De forma energética e sem pestanejar, o Ministério Público do Rio de Janeiro analisou as gravações entre a portaria e as casas do condomínio onde morava o presidente Bolsonaro. Segundo os promotores do caso, foi comprovado que o porteiro mentiu. O funcionário afirmou ter ligado para a casa do então deputado Bolsonaro e que o “seu Jair” teria autorizado a entrada Élcio Queiroz, apontado como um dos executores de Marielle Franco. Ele estaria procurando outro morador do local: Ronnie Lessa, que teria atirado contra a vereadora e quem, de fato, permitiu Queiroz entrar no condomínio.

Promotora diz que porteiro mentiu ao citar Bolsonaro
Promotora diz que porteiro mentiu ao citar Bolsonaro

A procuradora do Ministério Público Simone Sibilio, chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), confirmou que o porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco mentiu em depoimento à Polícia Civil. De acordo com Simone, quem autorizou a entrada de Élcio de Queiroz no condomínio do presidente é Ronnie Lessa, suspeito de ter feito os disparos. Élcio e Ronnie foram presos em março deste ano. “Pode ter sido um equívoco, pode ter sido por vários motivos que o porteiro mencionou a casa 58 (de Jair Bolsonaro). E eles serão apurados”, declarou a promotora.

“As gravações comprovam que Ronnie Lessa é quem autoriza a entrada do Élcio. E, em depoimento, eles omitiram diversas vezes que estiveram juntos no dia do crime. O porteiro mentiu, e isso está provado por prova técnica”, afirmou Simone Sibilio.

O MP também confirmou através de perícia que a autorização dada para a entrada de Élcio no condomínio foi de Ronnie Lessa. No dia 5 deste mês, uma operação de busca e apreensão das planilhas foi autorizada e recolheu os papéis da cabine do porteiro. Ali, foi encontrada uma anotação que faz referência a casa de Jair Bolsonaro — razão pela qual o MP enviou o material ao Supremo Tribunal Federal, incluindo aí o depoimento do porteiro que também mencionava o presidente. “Se o porteiro se equivocou ou se esqueceu, a informação não é compatível”, resumiu a promotora.

Curiosamente

Casa 58 - Casa do Bolsonaro Casa 65 - Casa do Lessa
Casa 58 – Casa do Bolsonaro
Casa 65 – Casa do Lessa

Após o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, postar um vídeo mostrando todos os áudios daquele dia e as ligações feitas da portaria para os condôminos, é possível ver que houve sim naquele dia, uma ligação para a casa 58, porém, 1 hora antes, às 15:58. O conteúdo deste áudio, porém, até o momento não foi revelado. Somente o áudio do 17:13, que no caso foi quando entrou Élcio Queiroz no condomínio.

 

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Polícia

Deixe uma resposta

Leia Também

Quanto tempo levaremos até vivermos em uma sociedade sem dinheiro?

O dinheiro muitas vezes parece ser uma das únicas coisas da nossa sociedade e do nosso est…