Empresa serve ovo e salsicha nas refeições diárias de alunos do Ceti Parintins, no Amazonas

16

Alunos do Centro de Educação de Tempo Integral “Gláucio Gonçalves” (Ceti-Parintins) denunciaram um problema antigo relacionado a qualidade da alimentação da unidade de ensino.

As proteínas ofereciadas aos alunos do Centro de Educação de Tempo Integral do município de Parintins são: ovos fritos e salsicha, acompanhadas de arroz e feijão. Suco e a sobremesa no almoço foram cortados do cardápio.

Empresa serve ovo e salsicha nas refeições diárias de alunos do Ceti Parintins - Imagem: Divulgação
Empresa serve ovo e salsicha nas refeições diárias de alunos do Ceti Parintins – Imagem: Divulgação
Loading...

Na manhã da última quarta-feira (30/8) um grupo de alunos protestou dentro do centro de ensino contra a má qualidade da refeição servida diariamente.

Os alunos já estavam insatisfeitos por serem proibidos de entrar no refeitório do Ceti vestidos com o casaco padrão da escola. Segundo informações dos estudantes, os coordenadores de disciplina determinaram que só teria direito ao almoço o aluno que deixasse o casaco na sala de aula, o fato gerou mais revolta.

“Nossos filhos estão passando fome no Ceti”, denunciou um pai de aluno.

Para tentar amenizar o problema, a direção do Ceti Parintins e a Coordenação da Seduc em Parintins convocaram uma reunião com os pais ou responsáveis pelos alunos, na manhã de quinta-feira (31/8).

Segundo a gestora do Ceti, Cristina Tavares de Oliveira, a orientação para deixar os casacos nas salas de aula foi devido o calor excessivo neste período e pelo fato de alguns alunos usarem o agasalho para laçar o pescoço dos colegas, o que poderia causar acidente.

Para a representante da Mega Foods Alimentos e Serviços Ltda., empresa responsável em fornecer o alimento para o Ceti Parintins, o Governo do Estado não repassa o valor do contrato há mais de cinco meses e sem recurso financeiro fica impossível oferecer carne e frango na alimentação dos estudantes.

A representante afirmou que a dívida do Governo do Estado com a empresa gira em torno de R$ 21 milhões, uma vez que a Mega Foods Alimentos e Serviços também fornece refeições para outros Cetis do Estado.

A funcionária da Mega Foods relatou que para suprir a falta de fornecimento de alguns gêneros alimentícios do cardápio do Ceti Parintins por parte da empresa ela própria disponibiliza de seu dinheiro para compra de produtos e verduras. Segundo a funcionária, o seu salário e dos funcionários da Mega Foods em Parintins estão atrasados.

De acordo com a previsão da representante da empresa, nos próximos dias poderá não ter mais o fornecimento de alimentação para os alunos do Ceti devido falta de dinheiro, o que acarretará na suspensão das aulas.

A coordenadora da Seduc Parintins, Odnea Garcia, disse que vai tomar todas as providências e encaminhar ofício para se ter uma resposta dos proprietários da Mega Foods Alimentos e Serviços Ltda e da Seduc. Odnea afirmou que caso a empresa não tenha mais condições de fornecer a alimentação de acordo com o cardápio da Seduc, terá que tomar a medida de paralisar as aulas.

Odnea Garcia informou que o Governo do Estado paga R$ 6,75 (seis reais e setenta e cinco centavos) por uma refeição por aluno e R$ 2,20 (dois reais e vinte centavos) por um café da manhã por cada aluno.

Fonte: Repórter Parintins

Comentários

comentários

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail: