Empresário muda de versão, diz que não arrombou porta do quarto e mentiu para proteger filho de político local

1402

Respons√°vel confesso pela morte do jogador Daniel Correa Freitas, Edison Brittes Junior (conhecido por amigos como ‚ÄėJuninho Riqueza‚Äô), de 38 anos, foi interrogado pela Delegacia de S√£o Jos√© dos Pinhais, na regi√£o metropolitana de Curitiba, nesta quarta-feira (7). Por mais de seis horas ele falou sobre sua vers√£o para o crime e reafirmou que ficou transtornado ao flagrar um suposto abuso sexual de Daniel contra sua esposa, Cristiana Brittes.

Juninho Riqueza divulgou vídeo antes de ser preso e afirmou que havia arrombado porta (Reprodução)
Juninho Riqueza divulgou vídeo antes de ser preso e afirmou que havia arrombado porta (Reprodução)

Entre os pontos do depoimento, Juninho foi questionado sobre as contradi√ß√Ķes entre a vers√£o apresentada por ele √† imprensa com depoimentos dos demais acusados. De acordo com o advogado Claudio Dalledone, o interrogat√≥rio foi longo e serviu justamente para esclarecer todas as d√ļvidas. ‚ÄúFicou muito claro que ele ouviu o pedido de socorro porque foi quem chegou mais perto do quarto. O Edison ainda deixou evidente que entrou pela janela e omitiu algumas informa√ß√Ķes para salvaguardar os demais envolvidos, incluindo um que √© filho de um pol√≠tico local‚ÄĚ, disse.

Jogador Daniel / Foto : Reprodução
Jogador Daniel morreu aos 24 anos (Divulgação)/ Foto : Reprodução

Em algumas perguntas, Juninho optou pelo sil√™ncio, segundo informa√ß√Ķes da defesa. Entre elas, est√£o quest√Ķes relacionadas diretamente √† morte de Daniel e ao corte do p√™nis. O acusado deve prestar novo depoimento ap√≥s a realiza√ß√£o das per√≠cias t√©cnicas.

Segundo Dalledone, Juninho disse que o objetivo de proteger os demais envolvidos foi o fato de todos serem muito jovens, com idades em torno dos 20 anos. O filho deste pol√≠tico local, que teve o nome revelado apenas para a pol√≠cia, seria ainda o respons√°vel por arrombar a porta do quarto e quebrar o celular de Daniel. ‚ÄúO Edison assume a autoria e sempre tentou proteger esses jovens, que nada tinham a ver com a morte. A inten√ß√£o homicida √© dele, quem matou foi ele e com esse prop√≥sito reuniu os jovens e omitiu alguns pontos. Ele tentou salvaguardar esse filho de pol√≠tico local, mas n√£o teve como, o melhor caminho √© o da sinceridade e esse jovem ser√° agora trazido para as investiga√ß√Ķes‚ÄĚ, afirmou o advogado.

Juninho foi o √ļltimo integrante da fam√≠lia Brittes a ser ouvido pela Pol√≠cia Civil. Cristiana e Allana haviam sido ouvidas na segunda-feira (5). A pris√£o dos tr√™s √© tempor√°ria.

Decreto de pris√£o

Nesta quarta-feira, a Justi√ßa decretou a pris√£o de mais tr√™s envolvidos na morte. O primo de Cristiana Brittes, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos, foi preso em Foz do Igua√ßu, no oeste do Paran√°. Os outros dois jovens que tiveram pris√£o preventiva decretada s√£o: David Willian Villero Silva, de 18 anos, e Igor King, de 20. Os tr√™s confessaram que estavam no carro que levou o corpo de Daniel at√© a Col√īnia Mergulh√£o.

Coment√°rios