Ex Nora acusa desembargador de Pedofilia, no Amazonas

230

Nesta quarta-feira (21/2), durante uma postagem no Facebook a advogada Luciana Pires, acusou o desembargador aposentado do Tribunal de justiça do Amazonas (TJAM), Rafael Romano, de pedofilia.

A ex nora do desembargador afirmou a filha dela, neta de Romano, atualmente com 15 anos, sofreu abusos por parte do av√ī, desde que tinha sete anos de idade.

Na postagem Luciana¬†relata os abusos sofridos pela filha e chama o desembargador aposentado de “monstro horroroso”. Confira a postagem na integra publicada por Luciana Pires:

Luciana publicou postagem no perfil do Facebook - Imagem: Reprodução
Luciana publicou postagem no perfil do Facebook РImagem: Reprodução

O advogado do desembargador aposentado Rafael Romano, Jos√© Carlos Cavalcanti, disse que o cliente nega com veem√™ncia as acusa√ß√Ķes da ex-nora. E a fam√≠lia considera uma “surpresa abomin√°vel de uma ex-nora que, at√© ontem, o sogro querido dela era o ‚Äėdoutor Rafael‚Äô. A mo√ßa, a neta dele, nunca teve atitude de repulsa, de ang√ļstia ou desespero estando perto do av√ī. Ent√£o para o doutor Rafael e para toda a fam√≠lia foi uma terr√≠vel surpresa este tipo de acusa√ß√£o no momento em que esta mo√ßa e o filho, que j√° est√£o separados de fato, resolvem, por for√ßa do desejo do filho de Rafael, um div√≥rcio. Ent√£o a fam√≠lia n√£o entende porque isto est√° acontecendo. O Rafael nega com veem√™ncia esta acusa√ß√£o‚ÄĚ, afirmou a defesa do desembargador.

A ex-nora e a neta residem em Fortaleza, e recentemene o desembargador esteve na capital cearense para comemorar seu anivers√°rio com a neta, afirmou Cavalcanti.

Desembargado Rafael Romano, 72, foi denunciado pela ex-nora por abusar da neta - Imagem: Divulgação
Desembargado Rafael Romano, 72, foi denunciado pela ex-nora por abusar da neta РImagem: Divulgação

Por√©m nesta quarta-feira (21/2) a adolescente denunciou os abusos ao Minist√©rio P√ļblico do Amazonas (MP-AM) onde esteve em companhia da m√£e. E¬†afirmou que tomou coragem para denunciar ap√≥s recente visita do av√ī, e que temia que a prima de oito anos que frequenta a casa dos av√≥s paternos, sofresse os mesmos abusos. Ela¬†alegou que n√£o contou antes porque tinha medo, pois sabia que seu av√ī era desembargador e que n√£o sabia o que poderia acontecer com a fam√≠lia, diz o termo de declara√ß√£o feito ao MP-AM, na presen√ßa do assessor jur√≠dico Francisco L√°zaro de Morais Campos.

Carreira do desembargador Rafael Romano:

Em Manaus, Romano j√° foi juiz do Juizado C√≠vel da Inf√Ęncia e da Juventude e foi o relator de processos na Justi√ßa do Estado pol√™micos, que envolviam den√ļncias de explora√ß√£o sexual infantil,¬† onde o ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, quando¬†decretou a pris√£o de Adail Pinheiro, em 2014 por crimes de pedofilia.¬†Chegou a declinar da compet√™ncia para julgar a Opera√ß√£o Estocolmo.

Romano tamb√©m¬†foi titular da Vara da Inf√Ęncia e da Juventude por 16 anos. Tomou posse como desembargador em 2008, pelo crit√©rio de antiguidade, e se aposentou em 2015. Foi vice-presidente do Tribunal de Justi√ßa do Amazonas (TJAM) em 2014. Formado pela Universidade Federal do Amazonas, Romano foi delegado de pol√≠cia e at√© delegado-geral. Magistrado h√° mais de 35 anos, atuou nas comarcas de Canutama, Mau√©s e Barreirinha, nas quais tamb√©m foi juiz eleitoral. Presidiu, como integrante do Tribunal Regional Eleitoral, ainda juiz, as elei√ß√Ķes de 1994 e 2000.

Coment√°rios