Home Notícias Política Ex-prefeitos condenados na justiça se unem para tentar voltar ao poder em Tefé

Ex-prefeitos condenados na justiça se unem para tentar voltar ao poder em Tefé

8 min - tempo de leitura
774

As eleições deste ano no município de Tefé, a 523 km de Manaus, prometem muita tensão com dois candidatos conhecidos da população. Um é o atual prefeito, Normando Bessa de Sá, Progressistas (PP), que tenta a reeleição, e o outro é Nicson Marreira, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), que conta com o apoio de ex-prefeitos condenados na justiça, entre eles Sidônio Trindade, o Índio( 2004-2008 e 2009-2012 ),  Jucimar Veloso, o Papi (Fev de 2011 a Dez 2012 e Set de 2014 a Dez de 2016) e Etelvino Celani (1993 a 1996).

A união de caciques condenados na Justiça não se deve no caso ao desejo de somar forças para o desenvolvimento da cidade e sim pela impossibilidade de muitos em concorrer ao pleito deste ano. Coube então ao candidato Nicson Marreira, empresário acostumado a ganhar licitações “sozinho” e depois ficar solicitando aditivos, a missão de representar o bloco dos que já governaram Tefé e colecionam problemas na justiça.

Ex-prefeitos condenados na justiça se unem para tentar voltar ao poder em Tefé / Divulgação
Ex-prefeitos condenados na justiça se unem para tentar voltar ao poder em Tefé / Divulgação

Os apoios possuem problemas que vão desde contas rejeitadas em suas gestões, com fraudes em licitações e diversos processos de improbidade administrativa, desvio de patrimônio público da Prefeitura entre outros. Após condenações, tiveram que devolver valores financeiros milionários aos cofres do município e se enquadraram na lei da ficha suja.

O ex-prefeito Etelvino Celani, sofreu processo instaurado pelo Fundo Nacional de Saúde/Ministério da Saúde, em decorrência da não-aprovação da prestação de contas dos recursos transferidos ao Município, mediante o Convênio nº 311/1993, no valor de CR$ 3.495.000,00 (três milhões e quatrocentos e noventa e cinco mil reais), repassados em 10/01/1994, cujo objeto era “a aquisição de uma ambulância, visando a fortalecer a capacidade técnico-operacional para atender aos serviços de saúde do Município, e sua integração ao Sistema Único de Saúde”. A lista é extensa, só conferir no site do Tribunal de Contas da União sobre as Contas Irregulares. 

O ex-prefeito Sidônio Gonçalves, principal apoiador de Nicson Marreira, por exemplo, entre tantos processos, destacam-se um de 2016 no qual Sidônio foi condenado pelo TCE a devolver 3,4 milhões ao cofres públicos e em 2018, teve R$ 487,2 mil em bens bloqueados, após ser condenado pelo ato de improbidade administrativa por dano ao erário aos cofres do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

O colegiado decidiu pela irregularidade das contas no exercício de 2010. As irregularidades que nortearam a decisão do colegiado foram a não comprovação de construção de escolas; o pagamento de diárias sem justificativas; e a ausência de comprovação de execução de serviços de contenção de erosão da orla do município e ainda foi inabilitado por cinco anos para o exercício de cargo de comissão ou função de confiança, em virtude da existência de graves infrações por ele praticadas, nos termos do art. 54 da Lei Orgânica-TCE/AM.

Enquanto o Papi  viu de perto o Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) ajuizar ações de improbidade administrativa por irregularidades em pagamentos de obras públicas e não atendimento de requisição do MPF para fornecimento de documentos da prefeitura. O ex-prefeito de Tefé, em 2016 ainda ingressou com recurso no Tribunal de Contas do Estado para se livrar de uma de condenação, mas não teve êxito.

A situação ficou ainda mais constrangedora quando Papi e Sidônio, eternos rivais acostumados a trocarem ofensas públicas pelo poder, tiraram fotos abraçadas demonstrando um circo jamais visto em Tefé, fazendo inclusive, com que muitos apoiadores de ambos se indignassem por terem sido feitos de otários esse tempo todo, mostrando que essa dupla é mesmo sem escrúpulo.

Papi e Sidônio / Foto : Divulgação

O candidato a Prefeito Nicson Marreira também coleciona processos na justiça desde o abandono de inúmeras obras na região até o atropelamento seguido de morte de Inglesias da Silva Suterio, 07 anos, ocorrido durante uma ultrapassagem irregular realizada por Nicson Marreira, enquanto dirigia um veículo modelo pickup (Cor azul, marca Chevrolet) na Estrada do Aeroporto em direção ao Centro de Tefé.

Além disso, o candidato ainda responde na justiça por expor ao perigo a embarcação Comandante Severino Ferreira, do qual ele é proprietário alocando na mesma 154 passageiros a mais que sua lotação de 431 passageiros, no total de 585 pessoas na referida embarcação; conforme boletim de ocorrência, oitiva das vítimas e de testemunhas; auto de exibição e apreensão de notificação da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental constatando a extrapolação da lotação da embarcação. A denuncia pode ser conferida através deste link 85-86.2020 NICKSON MARREIRA LIMA DENUNCIA art 261 CP.

Confira mais processos dessa turma que quer voltar ao poder em Tefé através do link abaixo:

Processos do Nicson, Sidonio e Papi organizados para que todos conheçam a verdade.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por No Amazonas é Assim
Carregar Mais Em Política

Deixe uma resposta

Leia Também

Trump estaria usando dublê para substituir própria esposa, confira as imagens

Internautas levantaram a teoria que Donald Trump estaria usando uma dublê de corpo para su…