Grupo no Facebook “Baile no Aurora” e “Ilha da Macacada” compartilham v√≠deo intimo de crian√ßa

35182

Um v√≠deo feito por celular, mostra uma garota, de aparentemente 12 anos, nua, dan√ßando funk em um banheiro. O v√≠deo em alguns segundos ganhou distribui√ß√£o em massa atrav√©s do Facebook, no grupo “Baile no Aurora” e a “Ilha da Macacada – Aberta“. Grupos repletos de usu√°rios ativos e dispon√≠veis para compartilhar todo tipo de conte√ļdo.

De acordo com o propriet√°rio do grupo no Facebook , Ilha da Macacada – Aberta, Samuel Rehbein, todos os usu√°rios que est√£o compartilhando esse tipo de conte√ļdo est√£o sendo imediatamente banidos e os posts removidos. Infelizmente, s√£o apenas 31 moderadores volunt√°rios que se revezam 24h por dia para cuidar de quase 1, 5 milh√£o de integrantes. Rehbein lamenta muito o ocorrido e alerta que o grupo da Ilha da Macacada foi criada em 2013 com o intuito de unir o p√ļblico gamer e n√£o disseminar conte√ļdos desse g√™nero.

“Abolimos todo o tipo de preconceito e conte√ļdo +18 no grupo e sempre buscamos atender ainda mais as necessidades do grupo quanto a conv√≠vio, queremos o melhor para os frequentadores da nossa timeline. Infelizmente, nesse breve escopo entre a postagem fora das regras surgir e um staff apagar, as pessoas acabam presenciando o conte√ļdo da postagem e tiram uma conclus√£o equivocada do grupo. Gostaria de salientar que estamos tendo trabalho redobrado nesse momento pra poder oprimir totalmente o compartilhamento desse v√≠deo em espec√≠fico e n√£o iremos parar at√© que isso termine por completo. A Ilha sempre teve regras de conv√≠vio justamente pra inibir comportamentos como esse. √Č simples: quem desrespeita uma regra √© banido e a postagem/compartilhamento/coment√°rio que causou seu banimento √© deletado automaticamente. Tenho certeza que os respons√°veis pelo Baile do Aurora tamb√©m est√£o fazendo o mesmo.” comentou Samuel.

Para Matheus , um dos respons√°veis¬† do grupo “Baile no Aurora”, lamentou que um epis√≥dio como esse tenha manchado a honra de um grupo com quase meio milh√£o de participantes. De acordo com o Matheus, o grupo foi criado para um baile que iria ter em S√£o Paulo, mas o grupo teve continua√ß√£o e virou um grupo de entretenimento, por√©m ao longo desses 2 √ļltimos anos, o grupo teve mais acessos a pessoas que procuram sempre fazer maldades e bangun√ßa. Algumas dessas pessoas acabaram entrando no grupo e se tornou um grupo de divulga√ß√£o de videos pornogr√°ficos, lives de dan√ßas de funk, entre outros tipos de conte√ļdo.

Matheus disse tamb√©m que o grupo n√£o possui moderadores, e por isso, √© imposs√≠vel para eles, enquanto “Baile no Aurora” tomar qualquer atitude em rela√ß√£o ao conte√ļdo compartilhado por seus membros.

Quem compartilha mensagens de teor sexual sobre crian√ßas e adolescentes nas redes sociais -e n√£o apenas quem as p√ļblica- pode estar cometendo crime.

Para a advogada Alessandra Borelli, diretora da Nethics (escola de educa√ß√£o digital), n√£o √© s√≥ o respons√°vel pela mensagem que comete crime: “Quem compartilha os conte√ļdos pode ser responsabilizado, assim como quem fizer um coment√°rio”, diz.

A Polícia Federal deverá apurar o caso.

Grupo no Facebook "Baile no Aurora" e "Ilha da Macacada" compartilham vídeo intimo de criança / Divulgação
Grupo no Facebook “Baile no Aurora” e “Ilha da Macacada” compartilham v√≠deo intimo de crian√ßa / Divulga√ß√£o

Se encontrada, a pessoa pode ser responsabilizada criminalmente”, diz o desembargador Ant√īnio Carlos Malheiros, do Tribunal de Justi√ßa de S√£o Paulo, ex-coordenador de Inf√Ęncia e Juventude da corte. Borelli recomenda que se evite compartilhar as mensagens, mesmo que para conden√°-las.

“Quanto mais a gente dissemina o conte√ļdo, maior o preju√≠zo da v√≠tima.”

√Č o mesmo conselho que d√° Rodrigo Nejm, diretor de educa√ß√£o da ONG Safernet, que recebe den√ļncias de crimes on-line. S√≥ no ano passado, foram 51.553 registros sobre pornografia infantil.

“H√° um contexto da erotiza√ß√£o precoce, que privilegia o corpo das chamadas ‘novinhas’, termo que est√° ficando bem famoso. H√° estudos americanos que falam em pedofiliza√ß√£o da sociedade, a hipervaloriza√ß√£o do desejo sexual pelo corpo jovem.” As redes sociais s√≥ podem ser responsabilizadas se n√£o tirarem do ar algum conte√ļdo cuja remo√ß√£o tenha sido ordenada pela Justi√ßa ou se n√£o repassarem as informa√ß√Ķes necess√°rias sobre os autores no per√≠odo determinado pela lei.

Procurado, o Facebook disse vetar conte√ļdo de ass√©dio e viol√™ncia sexual, principalmente contra menores.

 

Em alguns casos, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) prevê pena de até três anos de reclusão para quem tentar aliciar, assediar ou constranger uma criança (até 11 anos) a praticar ato libidinoso.

COMO DENUNCIAR

Como fa√ßo para denunciar? A melhor forma √© pelo site da SaferNet; denuncie. Org. Br. Ele filtra e encaminha casos para autoridades. Redes sociais como Facebook e Twitter tamb√©m t√™m bot√Ķes para denunciar abusos

Como proteger meus filhos?

A SaferNet recomenda monitorar a atividade das crianças na internet. Também é fundamental educá-las sobre até que ponto podem conversar com estranhos

O que fazer se for vítima de assédio digital?

O ideal é preservar as provas, como tirar prints dos comentários e guardar os endereços dos sites da internet onde eles foram feitos

Qual é a idade mínima para participar das redes sociais?

No Facebook, Instagram, Twitter e Snapchat é de 13 anos.

O limite do YouTube é de 18, mas adolescentes de 13 a 17 podem se cadastrar com permissão dos pais

O crime é só publicar mensagens de cunho sexual contra crianças?

Postar ou compartilhar textos desse teor pode ser considerado incitação à violência ou crime contra a honra.

O ECA prevê até três anos de reclusão para casos de assédio e aliciamento

Coment√°rios