HIstória do Bairro: Glória

1560

Percorrer toda a extensão do bairro da Glória, na Zona Oeste de Manaus, não dura mais do que meia hora. De acordo com a lei municipal 1.401/10, o bairro inicia na avenida Presidente Dutra próximo a igreja do São Raimundo e, com 49 hectares, é um dos menores bairros da cidade, mas isso não significa que o lugar não está cheio de histórias, já que também é um dos mais antigos da cidade.

Glória
Glória (Márcio Rodrigues)

A hist√≥ria da Gl√≥ria inicia antes mesmo de o bairro ganhar esse nome. Segundo o padre Stanislaw Krajewski, da par√≥quia Nossa Senhora da Gl√≥ria e que estuda a hist√≥ria do bairro, o local teve os seus primeiros moradores no in√≠cio do s√©culo 20, gra√ßas √†s ind√ļstrias que se instalaram no bairro da Aparecida.

‚ÄúEm 1912 foi instalado o Matadouro Municipal, que deu origem ao nome inicial do bairro. Todo o abate que abastecia a cidade era realizado l√°‚ÄĚ, conta o padre. Assim o lugar era batizado de bairro do Matadouro, nome que iria perdurar at√© a d√©cada de 1950.

O padre Stanislaw explica que foi nessa √©poca que o bairro come√ßou a se desenvolver, gra√ßas √† chegada de pessoas do interior, fugindo da grande enchente que aconteceu na √©poca. ‚ÄúNessa mesma d√©cada, um grupo de religiosos come√ßou a construir a Igreja de Nossa Senhora da Gl√≥ria e, em homenagem √† Santa, o bairro passou a ter o nome de Gl√≥ria‚ÄĚ, explica.

Segundo ele, foi o padre Henrique Dentener o primeiro religioso a se assentar no até então bairro do Matadouro, onde comprou uma casa de madeira e a transformou em uma capela. Com o tempo, no lugar dela, foi construída a Igreja Nossa Senhora da Glória, com a ajuda dos próprios moradores.

O bairro comemora anivers√°rio no mesmo dia da santa, em 15 de agosto.Entre os lugares importantes da Gl√≥ria est√£o a pr√≥pria igreja de Nossa Senhora da Gl√≥ria, localizada na avenida Presidente Dutra, a via principal do bairro. Em frente √† igreja est√° a pra√ßa Ant√īnio Bittencourt, local de lazer para os moradores, com bares, lanches e quadra de esportes. J√° onde antes ficava o matadouro municipal, localizado √†s margens do igarap√© do S√£o Raimundo, hoje √© funciona o pr√©dio da Funasa (Funda√ß√£o Nacional de Sa√ļde).

Bairro Atualmente

Infraestrutura e as fam√≠lias que moram √† margem do igarap√©. Esses s√£o os principais problemas apontados pela associa√ß√£o de moradores do bairro da Gl√≥ria. ‚ÄúH√° cinco anos as mais de mil fam√≠lias que moram na √°rea alagada, na margem do igarap√©, est√£o esperando pelo Prosamim e n√£o s√£o retiradas pelo governo‚ÄĚ, afirma Ricardo Maciel, presidente da associa√ß√£o de moradores. Ele dizque a situa√ß√£o das fam√≠lias fica mais prec√°ria na √©poca da cheia.

J√° quanto √† infraestrutura, a principal reclama√ß√£o dos moradores √© o estado da pra√ßa. ‚ÄúA quadra de esporte n√£o passa por uma reforma h√° mais de 20 anos, precisa de revitaliza√ß√£o, n√≥s temos que tirar do pr√≥prio bolso para pintar, ajeitar as grades de prote√ß√£o e o piso quebrado‚ÄĚ, reclama Maciel.

Segundo os moradores, quem frequenta a pra√ßa ainda √© v√≠tima de pequenos furtos, principalmente de celulares. Apesar disso, h√° um consenso de que a situa√ß√£o melhorou com o in√≠cio do ‚ÄúRonda no Bairro‚ÄĚ no local, mesmo sendo patrulhado por uma √ļnica viatura, devido ao tamanho do bairro. De acordo com a pol√≠cia, a Gl√≥ria √© considerada um ‚Äúbairro exemplar, com baixo n√≠vel de criminalidade‚ÄĚ

Coment√°rios