Home Notícias Manaus Igoam procura o responsável pelo vídeo e a divulgação da agressão de médico à parturiente, em Manaus

Igoam procura o responsável pelo vídeo e a divulgação da agressão de médico à parturiente, em Manaus

4 min - tempo de leitura
46

Com a divulgação do vídeo em que o médico Armando Araújo aparece agredindo uma adolescente de 16 anos durante o parto, a história ganhou uma nova polêmica ao longo dessa quinta-feira (21).

Em nota, o Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam) procura o responsável pelo vídeo, e a sua divulgação nas redes sociais e na imprensa local sem a permissão de nenhum dos envolvidos. O instituto também se solidarizou a parturiente, e espera que os órgãos competentes investiguem e denunciem os responsáveis pelo constrangimento e dano irreparável aos envolvidos. Segundo eles, o correto seria apenas o encaminhamento a ouvidoria da maternidade, onde não teria exposição da parturiente.

Vale lembrar que a jovem contou em depoimento que só demorou tanto para registrar a denúncia porque não tinha provas contra o médico. Ela declarou ainda que embora tenha se sentido constrangida pela exposição, o vídeo serviu para confirmar sua versão dos fatos e trazer a violência praticada pelo médico à tona evitando que ele faça novas vítimas.

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou em nota que todas as responsabilidades do fato registrado em vídeo estão sendo apurados pela sindicância instaurada na secretaria para a tomada de providências legais.

Confira a nota da Igoam na íntegra:
O diretor-presidente do Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam), Dr. Anderson Gonçalves, a convite do Secretário de Estado da Saúde (Susam), Carlos Almeida, participou de uma reunião na manhã desta quinta-feira (21.02), na sede da secretaria, para comunicar oficialmente a decisão da empresa pela suspensão dos plantões e atividades realizadas pelo sócio Armando Andrade Araújo, a partir do dia 21.02.19, até a conclusão do processo administrativo.

O Igoam se solidariza a parturiente e seus familiares e espera que os órgãos competentes investiguem e denunciem os responsáveis pela filmagem e divulgação nas redes sociais e imprensa, sem autorização dos presentes, causando constrangimento e dano irreparável aos envolvidos, ao invés do devido encaminhamento a ouvidoria da maternidade, onde seria evitada a desnecessária exposição da parturiente.

Ao final da reunião foi acordado que todas as denúncias, via ouvidoria da Susam ou das maternidades, seriam encaminhadas oficialmente à empresa com intuito de avaliar, via Comissão Disciplinar, a conduta ética dos sócios no exercício da atividade.

Manaus, 21 de fevereiro de 2019.

Dr. Anderson Gonçalves
Diretor-presidente do Instituto de Ginecologia Obstetrícia do Amazonas

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Nickson Maciel
Carregar Mais Em Manaus

Deixe uma resposta

Leia Também

Alunos nordestinos fazem saudação nazista em sala de aula e são suspensos pela direção

Um grupo de adolescentes de 17 anos  do Colégio Santa Maria, um dos mais tradicionais da r…