Índios se destacam em esporte na Amazônia com foco nas Olimpíadas

91

Na região amazônica, a cultura indígena encontrou no esporte um aliado. Nos últimos anos, atletas indígenas protagonizaram feitos importantes que despertaram a sensibilidade de todo o Brasil. A realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas justamente na Amazônia, por exemplo.

Na cultura indígena, o esporte fortalece o ânimo e o estado de espírito das tribos. Modalidades como o arco e flecha, corrida de tora, cabo de força e arremesso de lança são parte da identidade dos índios. Porém, eles também fizeram bonito nos chamados ‘esportes ocidentais’. E o principal deles é atualmente um esporte olímpico, mas possui origem nativa: o tiro com arco.

Índios se destacam em esporte na Amazônia com foco nas Olimpíadas
Índios se destacam em esporte na Amazônia com foco nas Olimpíadas

O arco e a flecha, representa muito mais que um esporte, para os indígenas. Pois é também instrumento de sobrevivência na floresta. A prática nativa é bem diferente das regras olímpicas, mas um projeto social no Amazonas tratou de introduzir os indígenas na modalidade praticada no esporte ocidental.

Idealizado pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), o Projeto Arquearia Indígena, nasceu com o objetivo de contribuir para a popularização da arquearia e fortalecer a imagem e autoestima das populações indígenas da Amazônia.

A medida que se introduzia jovens indígenas no tiro com arco moderno, o projeto também tinha uma proposta até então, vista como utópica: classificar um indígena para os Jogos Olímpicos de 2016.

Índios se destacam em esporte na Amazônia com foco nas Olimpíadas
Índios se destacam em esporte na Amazônia com foco nas Olimpíadas

Três indígenas disputam a seletiva do tiro com arco brasileiro para os Jogos do Rio: Dream Braga e Nelson Silva, da etnia Kambeba; e Graziela Paulino, da etnia Karapãna. Nos dias (16/4) e (17/4), eles disputaram a terceira, da quarta seletiva brasileira para as Olimpíadas. O sonho acabou adiado para 2020, mas nada que diminua a esperança e o talento dos nativos.

E os jovens arqueiros indígenas já conquistaram feitos históricos. Graziela e Nelson foram campeões brasileiros de duplas mistas em 2015. Na semana passada, o mesmo Nelson Silva conquistou a primeira medalha internacional de um indígena no tiro com arco ao ganhar o bronze da Copa Arizona, em Phoenix, nos Estados Unidos.

Há pouco tempo atrás, os jovens índios vivia em suas respectivas aldeias. Hoje, todos são atletas de alto rendimento.

Indígenas do Amazonas ganharam visibilidade no esporte através do tiro com arco. Foto: Mauro Neto/Sejel-AM
Indígenas do Amazonas ganharam visibilidade no esporte através do tiro com arco.                     Foto: Mauro Neto/Sejel-AM

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail:

Comentários