Inspeção constata falta de máscaras para prematuros em Jutaí

8

De acordo com inspe√ß√£o no hospital do Munic√≠pio de Juta√≠, a 750 Km de Manaus, realizada por t√©cnicos da Secretaria Estadual de Sa√ļde (Susam), foi apurado que a unidade disp√Ķe de m√°scaras de venturi em estoque. Por√©m as m√°scaras dispon√≠veis n√£o se servem para rostos de rec√©m-nascidos.

Imagem de Divulgação
Imagem de Divulgação

O caso dos gêmeos de Jutaí tomou repercussão nacional, na semana passada, quando na tentativa de salvar a vida dos recém-nascidos prematuros, médicos improvisaram máscaras de garrafas pet para assegurar um melhor acesso de oxigênio para as duas crianças. A menina morreu, devido à prematuridade extrema, conforme relatório do hospital, e o menino encontra-se internado em estado grave, Unidade de Terapia Intensiva da Maternidade Ana Braga, na capital amazonense.

O secret√°rio estadual de Sa√ļde, Pedro Elias de Souza lamentou que a Susam n√£o tenha sido logo acionada para dar orienta√ß√Ķes e providenciar a imediata remo√ß√£o a√©rea das crian√ßas. O secret√°rio enviou equipe de inspe√ß√£o ao munic√≠pio, para apurar os fatos, e tamb√©m determinou a imediata remo√ß√£o do beb√™ que ainda estava em atendimento no hospital. Os g√™meos poderiam ser trazidos para Manaus ou mesmo levados para o munic√≠pio de Tabatinga, onde h√° uma estrutura melhor para o atendimento preliminar de prematuros, destacou Pedro Elias.

De acordo com os m√©dicos, o parto prematuro dos beb√™s, pode estar associado a um quadro de infec√ß√£o urin√°ria reincidente da m√£e, est√° na sua quinta gesta√ß√£o. A m√£e realizava atendimento pr√©-natal na Unidade B√°sica de Sa√ļde Idalina Lasmar, no munic√≠pio, onde relatou o problema, nas duas √ļltimas consultas.

Coment√°rios