Home Notícias Amazonas Iranduba deve imunizar uma porrada de gado!

Iranduba deve imunizar uma porrada de gado!

3 minutos lido
34

Cerca de 6,5 mil bovídeos devem ser vacinados na primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). A estimativa é da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf). Esta fase da campanha é realizada no período de 15 a 30 de abril, em 41 municípios do estado, pertencentes às calhas dos rios Amazonas e Solimões. Após imunizar seus rebanhos, os pecuaristas devem notificar a vacinação junto à Adaf até o dia 15 de maio.

Neste ano de 2021, o município de Iranduba sediou a abertura da primeira etapa da campanha “Amazonas sem Febre Aftosa”, ocorrida nesta segunda-feira (15/03), na Fazenda São Bento, do pecuarista Osvaldir Bento. A ação no município contou com a presença do governador do Estado, Wilson Lima, e teve o apoio da equipe local da Unidade de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav-Iranduba).

Para o pecuarista Osvaldir Bento, a iniciativa de receber a campanha de vacinação contra a febre aftosa em sua propriedade rural traz a alegria e um sentimento de segurança aos pecuaristas da região.

“A gente está entusiasmado, inclusive, pela união de todos os departamentos aqui conosco, inclusive temos a presença do nosso governador, isso nos fortalece”, comentou Bento.

Em 2020, mesmo com a crise mundial de saúde, em decorrência da pandemia de Covid-19, Iranduba obteve elevado índice de vacinação contra a febre aftosa durante a primeira etapa da campanha. A Adaf registrou a imunização de 91,67% do rebanho. Ao todo, 6.502 bovídeos foram imunizados contra a febre aftosa.

Para o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo o comprometimento dos produtores e das equipes do Sistema Sepror (Idam, Adaf e ADS) será fundamental para o Amazonas obter os elevados índices de vacinação dos últimos anos. “Serão 45 dias de campanha, em um momento de pandemia, mas, como superamos no ano passado, superaremos nesse ano com a ajuda e o apoio de todos”, destacou Alexandre.

As vacinas podem ser adquiridas nas casas agropecuárias credenciadas pela Adaf ou nas unidades do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). Em Iranduba, as vacinas estão sendo adquiridas no Idam.

Iranduba deve imunizar uma porrada de gado! / Foto: Divulgação/Adaf

Atualmente, Iranduba tem cadastrados 7.260 bovídeos e 166 propriedades rurais, e faz parte do Bloco II no Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa, composto pelo Amapá, Pará e Roraima, na transição de área livre da aftosa com vacinação para área livre sem vacinação. Ao todo, 49 municípios do estado estão incluídos neste grupo.

Outros 13 municípios no sul do estado já são reconhecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) como áreas livres da febre aftosa sem vacinação e estão prestes a receber o mesmo reconhecimento internacional conferido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

As demais regiões que participam dessa etapa da campanha são as seguintes: Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Autazes, Barreirinha, Benjamin Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Fonte Boa, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maraã, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Parintins, Rio Preto da Eva, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini, Urucará e Urucurituba.

A campanha “Amazonas sem Febre Aftosa” é uma ação do Governo do Estado por meio da Adaf, com apoio do Sistema Sepror (Idam, Adaf e ADS), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Superintendência Federal da Agricultura no Amazonas (SFA-AM) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea).

Iranduba deve imunizar uma porrada de gado! / Foto: Divulgação/Adaf

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Mulher morre após teste clandestino com nebulização de hidroxicloroquina em Manaus

Em meados de fevereiro, o auxiliar de produção Kleison Oliveira da Silva, 30, apreensivo, …