Josu√© Neto busca solu√ß√Ķes para lix√Ķes e falta de √°gua pot√°vel no interior do AM

247

Em reuni√£o com o presidente da Funda√ß√£o Nacional de Sa√ļde (Funasa), Ronaldo Nogueira, na √ļltima semana, em Bras√≠lia, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Josu√© Neto, solicitou ajuda para acabar com os lix√Ķes a c√©u aberto das cidades do interior do Estado e para a falta de √°gua pot√°vel na zona rural dos munic√≠pios nos per√≠odos de seca extrema.

Josu√© Neto busca solu√ß√Ķes para lix√Ķes e falta de √°gua pot√°vel no interior do AM – Imagem: Divulga√ß√£o

De acordo com o parlamentar, a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) fará um levantamento dos municípios que estão em situação crítica no saneamento básico e abastecimento. A lista será encaminhada para a Funasa, que avaliará quais cidades receberão ajuda primeiro.

Segundo o deputado Josu√© Neto, todos os munic√≠pios do interior do Amazonas t√™m lix√Ķes a c√©u aberto, e est√£o com dificuldades de cumprir o que prev√™ o Plano Nacional de Res√≠duos S√≥lidos (PNRS). ‚ÄúAlguns j√° possuem o Plano de Saneamento, mas sem recursos do Governo Federal eles n√£o v√£o conseguir tirar esses projetos do papel no prazo estabelecido em lei‚ÄĚ, afirmou.

Pela Lei n¬ļ 12.305/10 as prefeituras municipais tinham at√© 2014 para ampliar servi√ßos de abastecimento de √°gua, tratamento de esgoto e transformar lix√Ķes em aterros sanit√°rios nas cidades brasileiras. O prazo foi prorrogado tr√™s vezes. Agora, os munic√≠pios com popula√ß√£o entre 50 e 100 mil habitantes t√™m at√© 31 de julho de 2020 para resolver essa quest√£o. J√° os munic√≠pios com menos de 50 mil habitantes, tem at√© 31 de julho de 2021.

No Amazonas, 52 cidades têm menos de 50 mil habitantes.

√Āgua

Segundo Josu√© Neto, o levantamento dever√° apontar quais cidades est√£o em situa√ß√£o cr√≠tica de falta de √°gua pot√°vel para que recebam ajuda atrav√©s de conv√™nios. ‚ÄúO Amazonas √© um Estado que necessita muito da Funasa. No interior, as pessoas sofrem muito com as cheias e vazantes. Quando o rio est√° muito cheio √© imposs√≠vel contar com po√ßo artesiano. Quando est√° muito seco, a pessoa anda quil√īmetros pra pegar √°gua no rio‚ÄĚ, disse.

O objetivo, segundo o parlamentar, é que as prefeituras sejam beneficiadas com projetos e convênios que ajudem a solucionar problemas de saneamento básico. Um deles é o SALTA-z, um sistema de tratamento de água de fácil instalação.

Sa√ļde

A Funasa atua com investimentos em a√ß√Ķes de tratamento de √°gua, esgoto e lixo, e capta√ß√£o de √°gua, para controle de doen√ßas causadas por √°gua contaminada. Segundo a Funasa, essas a√ß√Ķes representam economia nos servi√ßos p√ļblicos de sa√ļde.

√Āgua e Esgoto

Segundo levantamento do Instituto Trata Brasil, a Regi√£o Norte √© a mais atrasada do pa√≠s em rela√ß√£o ao saneamento b√°sico. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE), em 2017, apontaram que 25 cidades amazonenses registraram endemias ou epidemias associadas ao saneamento b√°sico. Diarr√©ia, verminoses, dengue, mal√°ria e hepatite estiveram entre as doen√ßas detectadas em maior n√ļmero de munic√≠pios.

Coment√°rios

Receba nossas atualização no seu e-mail: