Jovem que vestia camiseta ‘ele não’ é marcada por canivete com suástica

393

Uma jovem de 19 anos registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil de Porto Alegre na última segunda-feira (8/10), após ser agredida e ter uma suástica (símbolo nazista) marcada no corpo com um canivete. De acordo com a vítima, ela usava uma camiseta de apoio ao movimento #EleNão, em oposição ao candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), quando foi abordada por três homens.

A mulher desceu de um ônibus e estava a caminho de casa, quando o grupo começou a questioná-la sobre o uso da roupa. Os homens a agrediram com socos e por fim desenharam uma suástica na barriga da vítima utilizando um canivete.

Uma mulher afirmou ter sido marcada em represália por usar uma camiseta em que estava escrito #Elenão - Imagem: Divulgação
Uma mulher afirmou ter sido marcada em represália por usar uma camiseta em que estava escrito #Elenão – Imagem: Divulgação

A denúncia foi feita na 1ª Delegacia de Polícia Civil, que informou nesta quarta-feira, 10, que o caso está sendo investigado. Policiais buscam imagens de câmeras de segurança para tentar identificar os agressores.

A ocorrência repercutiu nas redes sociais após a publicação de uma jornalista de Brasília, que conversou com a vítima e a convenceu a procurar a polícia. “Ela foi agredida, humilhada no meio da rua. E como se não bastasse, dois homens seguraram seus braços, enquanto o terceiro cravava uma suástica na sua costela. Uma suástica”, escreveu Ady Ferrer no Facebook.

O delegado Paulo César Jardim, que investiga o caso, minimizou o caso e disse que se trata de um símbolo budista de amor, paz e harmonia. E questionado se haveria sentido em agredir alguém para marcar um símbolo de amor em seu corpo, o delegado argumentou que não pode descartar nenhuma hipótese.

Procurado, o chefe de Polícia, delegado Emerson Wendt, disse que a orientação é “de que se trata de uma lesão, é uma circunstância grave que deve, merece e precisa ser apurada”.

Questionado sobre os casos recentes de violência de seus apoiadores, o candidato do PSL disse que não tinha o que fazer. “Quem levou a facada fui eu, pô. O cara lá tem uma camisa minha e comete um excesso. O que eu tenho a ver com isso?” E completou: “Não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”. Os casos de agressões por motivos políticos se espalham pelo Brasil, sendo físicos e verbais.

Uma mulher afirmou ter sido marcada em represália por usar uma camiseta em que estava escrito #Elenão - Imagem: Divulgação
Uma mulher afirmou ter sido marcada em represália por usar uma camiseta em que estava escrito #Elenão – Imagem: Divulgação

Comentários