Julgamento de Marcelaine Schumann, amante afirmou que a socialite queria reatar relacionamento durante liberdade provisória

148

Na manh√£ desta quarta-feira (1¬ļ de junho), por volta das 9h, o julgamento da dona de casa, Marcelaine dos Santos Schumann, 37, e dos envolvidos na tentativa de homic√≠dio de Denise Silva, que aconteceu no em 12 de novembro de 2014, no estacionamento de uma academia, quando a vitima estava saindo com seu carro.

O julgamento presidido pelo juiz Mauro Antony, come√ßou com atraso. Karen Arevalo, Charles Mac Donald‚Äôs Castelo Branco e Rafael Leal dos Santos, o ‚ÄúSalsicha‚ÄĚ, tamb√©m est√£o sendo julgados.

Denise Silva, a vitima, foi a primeira a ser ouvida, e relatou sobre o dia do crime. Ela disse que Marcelaine ligava e mandava mensagens para o marido dela durante cinco meses.¬† Ela afirmou n√£o conhecia a Marcelaine, e n√£o respondeu a promotoria, quando foi questionada se tamb√©m teve um caso com Marcos Souto, ‘porque queria preservar a moral dela j√° que √© casada h√° 19 anos e tem um filho de tr√™s meses’.

Denise Silva /Foto: Pedro Braga Jr.
Denise Silva /Foto: Pedro Braga Jr.

Durante um encontro com a vitima, Marcelaine justificou que mantinha um caso com Marcos Souto, pois seu marido havia ficado impotente ap√≥s um c√Ęncer de pr√≥stata.

Denise falou que teve vontade de bater em Marcelaine, mas que n√£o tinha tempo pra isso. Continuou, ‚Äúa Marcelaine me trouxe problemas em casa. Gra√ßas a Deus, tenho uma base muito s√≥lida, mas ela me trouxe muitos transtornos de uma forma geral. Se mostrou uma pessoa com a mente maquiav√©lica a ponto de arquitetar a minha morte pelos motivos mais f√ļteis poss√≠veis‚ÄĚ. Quando perguntaram por que n√£o se afastou de Marcos, ela respondeu: “Eu tentei por v√°rias vezes me afastar dele, por√©m, havia muita insist√™ncia por parte dele. Pedi que ele se afastasse tamb√©m”.

O segundo depoimento foi do delegado Paulo Martins, testemunha, a √©poca do crime era o titular da Delegacia Especializada em Homic√≠dios e Sequestros (DEHS). Questionado pela defesa de um dos r√©us, sobre uma suposta tortura, Martins negou as acusa√ß√Ķes. A delegada Ge√≥rgia Soares Pereira Cavalcanti, que participou das investiga√ß√Ķes conduzidas pela DEHS, tamb√©m foi ouvida.

O piv√ī da tentativa de assassinato, o empres√°rio Marcos Souto, afirmou, ‚ÄúNunca imaginei que a Marcelaine fosse capaz disso‚ÄĚ. Marcos disse ainda, que a rela√ß√£o com Marcelaine durou 9 anos e o caso com Denise por dois anos. E confirmou que durante o relacionamento com Marcelaine, teve envolvimento passageiro com outras mulheres, mas foi amante com a Denise tamb√©m.

Momento que Marcos Souto, afirma ter tido um caso extraconjugal com Denise e Marcelaine
Momento que Marcos Souto, afirma ter tido um caso extraconjugal com Denise e Marcelaine

Marcos disse que sua mulher n√£o sabia de nada e que seu casamento dele era perfeito. A esposa soube apenas depois do ocorrido, e que a rela√ß√£o foi mantida. “Eu amo a minha esposa”, disse Souto.¬† Quando perguntado se amava Marcelaine, ele declarou: “A Marcelaine era minha amiga, gostava muito dela. Amar √© subjetivo”.

Marcos disse que quando Marcelaine foi colocada em liberdade provisória, ela o procurou para que eles reatassem o caso amoroso, mas ele não quis.

Marcelaine Schummann /Foto: Pedro Braga Jr. / Portal do Holanda
Marcelaine Schummann /Foto: Pedro Braga Jr. / Portal do Holanda

Coment√°rios