Home Notícias Polícia Julgamento do Caso Lorena Baptista começa nesta quarta-feira (5) com juri popular

Julgamento do Caso Lorena Baptista começa nesta quarta-feira (5) com juri popular

6 min - tempo de leitura
453

Nesta terça-feira (5), se deu início ao julgamento do Caso Lorena, a perita criminal da Polícia Civil morta em 2010 com um tiro na cabeça, na frente do filho, e tendo como acusado o então marido Milton César Freire da Silva, que havia travado uma luta corporal e alega que foi um disparo acidental. O julgamento do dentista Milton está acontecendo no Fórum Ministro Henoch Reis, na zona centro-sul da cidade. O julgamento foi adiado por cerca de três vezes, depois de quase 10 anos que o crime ocorreu.

A perita morreu em 05 de julho de 2010, no apartamento do dentista, localizado no conjunto Vila Nova, Rua Rei Arthur, no Parque 10, zona centro-sul de Manaus. À época com 11 anos, hoje o filho será uma das testemunhas contra o pai.

Após o disparo que matou Lorena, Milton fugiu do local e pediu para um vizinho reparar a criança. Dias depois, ele compareceu acompanhado de advogado à delegacia, onde confessou o crime. Em setembro de 2009, Lorena chegou a fazer um Boletim de Ocorrência (B.O), de uma das agressões que sofreu, no dia 12 de setembro de 2009, meses antes de o crime ser cometido. Além disso, recentemente foi divulgada uma carta na qual Lorena Baptista narrava toda sua dor e sofrimento de tê-lo como pai dos seus filhos. À época da carta, Lorena estava grávida.

Durante o julgamento, serão ouvidas cinco testemunhas do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), incluído o filho do ex-casal, que na época tinha 11 anos e testemunhou o crime, outras cinco pessoas também darão o depoimento em prol da defesa do dentista, além de uma testemunha do Juízo, um perito e três assistentes técnicos.

Antes de iniciar o julgamento, o irmão de Lorena Baptista, Enio Baptista, acredita que hoje a justiça será feita em prol da sua irmã e confessou indignação a uma absolvição de Milton, em primeira instância, que ocorreu em 2014.

“Foram dez anos de muito sofrimento para a família. Isso ocorreu por conta da decisão monstruosa de primeira instancia. Tão monstruosa que ela foi revogada neste próprio tribunal (Henoch Reis). A defesa quer usar isso como prova, o que não é. Isso foi um erro da justiça e que será consertada hoje com a condenação dele (Milton)”, disse.

Esperança. Assim foi definida este dia pela prima-irmã de Lorena, Mônica Baptista, que revelou que a família almeja gritar que a justiça foi feita, em nome de Lorena. “Não é possível que não enxerguem esse crime. Ela foi brutalmente assassinada com um tiro na cabeça na frente do filho, deixando ele e mais dois filhos órfãos de mãe. Nós temos esperança de que a justiça será feita hoje”, concluiu.

perita Lorena Baptista / Divulgação

O outro lado

Especialista em casos polêmicos, o perito Ricardo Molina está envolvido neste julgamento como perito da defesa do dentista Milton César. De acordo com declarações dadas por Molina, “estão santificando Lorena”, coisa que para o perito, ela não é. Ricardo disse ainda que a defesa teria provas de que o disparo de arma de fogo teria sido acidental. “Ela não era essa mulher que estão santificando. Nós temos e-mails enviados por ela, que comprovam isso. Nós temos provas de que o tiro foi acidental, qualquer outra teoria é fantasiosa. Iremos mostrar isso com fatos e provas materiais, não com palavras que a acusação não tem”, completou Molina.

A advogada do dentista, Carla Luz, informou, ainda, que Milton foi surpreendido pela vítima, ao ouvir gritos do filho para entrar com a mãe na residência dele. Na hora, a perita estava com uma arma de fogo, que foi utilizada no crime, na sua cintura. “Além de portar a arma, ela (Lorena) estava com luvas cirúrgicas. Ele não abriu a porta para ela e sim para o filho que estava gritando. Ele abriu a porta, pediu para Lorena uma, duas vezes para que ela saísse, pediu para o filho e ela não atendeu, foi quando ouve um embate pela arama de fogo”, explanou Luz.

Julgamento do Caso Lorena Baptista começa nesta quarta-feira (5) com juri popular
Julgamento do Caso Lorena Baptista começa nesta quarta-feira (5) com juri popular

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Polícia

Deixe uma resposta

Leia Também

Aleam antecipa pauta da próxima semana com oito Projetos de Lei e cinco vetos do governo

  A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) vai colocar em votação, na próxima sem…