Largo São Sebastião, em Manaus, inspirou o famoso calçadão de Copacabana no Rio de Janeiro

801

Toda vez que algu√©m fala que o Largo S√£o Sebasti√£o foi inspirado no Cal√ßad√£o de Copacabana, √© necess√°rio que coloquemos os pingos nos is. Muitas das vezes as pessoas que falam isso, n√£o falam por maldade, mas por pura ignor√Ęncia.

√Č preciso esclarecer que durante o auge do ciclo econ√īmico da borracha, Manaus se transformou em uma cidade moderna, com as mesmas benfeitorias que chegavam ao Rio de Janeiro, a ent√£o capital federal.

Entre as benfeitorias, a cal√ßada portuguesa que comp√Ķe o Largo S√£o Sebasti√£o. Em Lisboa, capital de Portugal, existe um piso semelhante que decora h√° s√©culos a Pra√ßa de D. Pedro IV, mais conhecida como Pra√ßa do Rossio. Seu desenho foi escolhido para homenagear o encontro das √°guas doces do Rio Tejo com o Oceano Atl√Ęntico.

Essa mesma conota√ß√£o √© aplicada √† Manaus, simbolizando o encontro dos rios Negro e Solim√Ķes. No Rio de Janeiro, a hist√≥ria √© que a cal√ßada de Copacabana faz refer√™ncia √†s ondas do mar.

O calçadão da orla da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, foi inaugurado em 1905, portanto quatro anos depois do pavimento manauara. Nos dois casos foram usados ladrilhos portugueses.

Os desenhos eram diferentes, porém, na década de 1920, as águas do mar invadiram a orla e a calçada carioca foi destruída. Assim, o passeio foi reformado e redecorado, seguindo o modelo amazonense

Em Manaus, a calçada do Largo São Sebastião foi finalizada em 1901, mas já estava planejada desde a década de 1880.

Detalhes da calçada portuguesa do Largo São Sebastião em Manaus / Foto : Marcus Pessoa
Detalhes da calçada portuguesa do Largo São Sebastião em Manaus / Foto : Marcus Pessoa

Coment√°rios