Home Notícias Política Lei do gás natural aprovada no Amazonas vai trazer energia mais barata e mais empregos na indústria

Lei do gás natural aprovada no Amazonas vai trazer energia mais barata e mais empregos na indústria

4 min - tempo de leitura
74

A Assembleia Legislativa do Amazonas aprovou ontem (08) uma lei que vai mudar radicalmente o fornecimento de gás natural no Amazonas. O projeto que determina o fim do monopólio da distribuição do gás natural visa baratear custos do gás natural e baratear o custo do GNV, da geração de energia elétrica e ajudar na retomada da produção industrial no Estado – com o fornecimento de gás natural para a indústria a preços mais adequados ao mercado mundial.

Foto: Divulgação

O projeto de lei 153/2020 é de autoria do deputado Josué Neto (PRTB) e foi aprovado em dois turnos no plenário virtual, com ampla maioria na Casa no primeiro turno, e unanimidade no segundo turno. Após a aprovação, o projeto segue para a sanção do governador Wilson Lima.

Para o deputado Josué Neto, o projeto é um dos caminhos para a retomada econômica do Estado após a crise mundial do coronavírus. Segundo ele, com melhores condições para o fornecimento deste insumo para uma energia mais barata, o Amazonas estará pronto para a retomada de geração de emprego e renda em diversos setores da economia.
A sua importância econômica e social também foi destaque no parecer favorável emitido pela Comissão de Constituição e Justiça. O relator foi o deputado Serafim Corrêa (PSB), o qual destacou que “se trata de projeto de lei de extrema importância e de mérito louvável que visa mobilizar esforços para a geração de mais desenvolvimento para o estado do Amazonas”.

Movimento nacional
A alteração vai de encontro ao movimento nacional para a abertura do mercado do gás nos Estados, que vai viabilizar o “choque de energia barata” proposto pelo Governo Federal. O projeto é capitaneado pelo ministro da Economia Paulo Guedes e tem o apoio do Ministério de Minas e Energia, que propõem no âmbito nacional as mudanças necessárias para tornar a energia mais barata em todo o país.

Segundo a previsão do Ministério da Economia, apresentado em 2019, os esforços conjuntos entre Governo Federal e Estados tem o potencial de reduzir o custo do gás natural em até 40%. Como maior produtor de gás natural em terra do país, o Amazonas está na dianteira do processo de abertura do mercado de gás junto aos estados do Rio de Janeiro e de Sergipe, estados produtores de gás natural que realizaram mudanças da mesma ordem.

Na parte estadual, o Amazonas se integra para dar condições mais favoráveis ao acesso à energia a preços competitivos pelas indústrias, facilitando acesso ao gás natural pelos atores econômicos e também aos consumidores comuns. Alinhados à política nacional de abertura do mercado do gás, o projeto aprovado garante um ambiente favorável a novos investimentos e a viabilizar que indústrias já instaladas possam ter mais eficiência.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Emerson Tahan
Carregar Mais Em Política

Deixe uma resposta

Leia Também

Em Manaus, 56 estabelecimentos são vistoriados pela Central de Fiscalização e dez são fechados

Em uma nova ação da Central Integrada de Fiscalização (CIF), coordenada pela Secretaria de…